Currículo

O Catálogo dos Cursos de graduação é o documento oficial que apresenta os Currículos Plenos dos cursos ministrados na Unicamp.

Você pode acessar, abaixo, os últimos 4 catálogos do curso de Licenciatura Matemática, conforme aparece no site da DAC:

Para o currículo válido a partir de 2015, você encontra abaixo a proposta de cumprimento das disciplinas, semestre por semestre e logo abaixo, o programa completo das disciplinas, incluindo sugestões bibliográficas.

Proposta de cumprimento de créditos, Catálogo 2015

01° Semestre: 18 Créditos
MA104(02) , MA105(08) , MA141(04) e MA148(04)

02° Semestre: 18 Créditos
MA111(06) , MA327(04) , MA521(04) e MA750(04)

03° Semestre: 20 Créditos
EL683(06) , F 128(04) , MA211(06) e MA621(04)

04° Semestre: 22 Créditos
EL212(06) , EL284(02) , F 228(04) , LIBRAS(04) e MA507(06)

05° Semestre : 22 Créditos
EL511(06) , MA044(04) , MA220(04) , MA811(04) e MS213(04)

06° Semestre: 26 Créditos
EL774(08) , MA224(06) , MA312(04) , MA553(04) e MA812(04)

07° Semestre: 28 Créditos
4 créditos eletivos, EL684(06) , EL874(08) , MA740(06) e ME951(04)

08° Semestre: 26 Créditos
EL883(02) , MA673(04) , MA752(06) , MA840(06) e MA901(08)

09° Semestre: 28 Créditos
4 créditos eletivos , MA225(06) , MA705(06) , MA813(04) e MA902(08)

 

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS

 

EL212 - Política Educacional: Organização da Educação Brasileira. 4

EL284 – Educação Matemática Escolar I 6

EL285 – Conhecimento em Física Escolar I 10

EL511 - Psicologia e Educação. 12

EL683 - Escola e Cultura. 14

EL684 – Educação Matemática Escolar II 15

EL774 - Estágio Supervisionado I 18

EL874 - Estágio Supervisionado II 21

EL883 - Prática Pedagógica em Matemática. 24

Disciplina Libras e Educação de Surdos. 26

F-128 - Física Geral I 30

F-129 - Física Experimental I 30

F-228 - Física Geral II 31

F-229 - Física Experimental II 32

F-328 - Física Geral III 33

F-329 - Física Experimental III 33

F-428 - Física Geral IV.. 34

MA044 - Matemática IV.. 35

MA104 - Seminários sobre o Ensino de Matemática. 36

MA105 - Matemática Elementar. 36

MA111 - Cálculo I 37

MA141 - Geometria Analítica e Vetores. 38

MA148 - Fundamentos de Matemática. 40

MA211-Cálculo II 41

MA220 - Matemática Discreta. 41

MA224 Resoluções de problemas matemáticos. 42

MA225 - Análise de Livros e Materiais Didáticos de Matemática. 43

MA311 - Cálculo III 44

MA312 – Modelagem matemática e equações diferenciais. 45

MA327 - Álgebra Linear. 46

MA502 - Análise I 47

MA504 – Introdução à Análise. 48

MA520 - Geometria Plana e Desenho Geométrico. 49

MA521 – Geometria plana. 50

MA553 - Teoria Aritmética de Números. 51

MA621 – Geometria espacial 52

MA673 - Elementos de Álgebra. 53

MA705- Curriculo e didática da metamática: teoria e prática. 54

MA740- Matemática do ensino médio para professores I 55

MA750 – Recursos computacionais no ensino de matemática. 56

MA752 -História de matemática. 57

MA770 - Geometria. 58

MA811/812/813 – Cultura Matemática I/II/III 58

MA840 -Matemática do ensino médio para professores II 59

MA901 -Estágio Supervisionado I 60

MA902 -Estágio Supervisionado II 60

MC102 - Algoritmos e Programação de Computadores. 61

ME210 - Probabilidade I 62

ME951 - Estatística e Probabilidade I 63

MS149 - Complementos de Matemática. 64

MS211 - Cálculo Numérico. 65

MS213 – Introdução à Matemática Computacional 65

FM003 - Seminários sobre a Profissão. 66

 

 

 

 

EL212 - Política Educacional: Organização da Educação Brasileira

Vetor: OF:S-5 T:002 P:002 L:000 O:002 D:000 HS:006 SL:004 C:006 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: Não há

Ementa: Estudo analítico das políticas educacionais no Brasil com destaque para: a política educacional no contexto das políticas públicas; organização dos sistemas de ensino considerando as peculiaridades nacionais e os contextos e legislação de ensino; organização da educação básica e do ensino superior.

Objetivos:

  • Estudar a organização educacional brasileira e o funcionamento das unidades escolares, analisando o ensino nos seus diferentes níveis e procurando demarcar as tendências e significados de seu desenvolvimento, indicando seus principais problemas;
  • Propiciar a reflexão sobre o campo educacional e a educação básica brasileira, em uma perspectiva de totalidade, explicitando os determinantes sociais, econômicos, políticos e culturais;
  • Analisar a organização e funcionamento dos sistemas de ensino, identificando o inter-relacionamento entre os elementos que participam do processo educacional;
  • Favorecer a formação do professor na sua relação com a prática escolar.

 

Dinâmica do Curso: Disciplina executada por meio de aulas expositivas, seminários, exposições dialogadas, leituras de textos, seminários, trabalhos de reflexão individual e coletiva. A disciplina incentivará a colaboração e cominação inter-pessoal, para o desenvolvimento e aprimoramento do estudante, incentivando-o a estabelecer relações entre a sua área ou disciplina específica (diversas licenciaturas) e os eixos temáticos e conteúdos da disciplina. A experiência profissional e de vida dos estudantes será incorporada ao na condução da disciplina. O conteúdo programático está dividido em 04 eixos:

  • História da Educação Brasileira no contexto da legislação,
  • Políticas Públicas e Educação,
  • Atual agenda da política educacional brasileira,
  • O profissional da educação na política educacional: formação, valorização e carreira.

 

Formas de avaliação e acompanhamento: A avaliação será contínua, referindo-se ao desempenho global do aluno em estudos prévios, participação nas atividades de classe (questões, seminários e trabalhos escritos vinculados as leituras propostas). No decorrer do curso será aplicada uma avaliação parcial sobre o conteúdo em estudo. Haverá um trabalho final escrito além de uma avaliação geral do curso, autoavaliação e avaliação do professor. O docente responsável estabelecerá a quantidade, modalidade e peso das avaliações parciais e finais da disciplina.

 

Bibliografia:

ADRIÃO, T., GARCIA, Teise, BORGHI, R., ARELARO, L. R. G. Sistemas apostilados e gestão privada da educação pública em São Paulo. Educação & Sociedade (Impresso). v.108, p.183 - 198, 2009

ADRIÃO, T., PERONI, Vera. A educação pública e sua relação com o setor privado: implicações para a democracia educacional. Retratos da Escola. , v.3, p.107 - 116, 2009.

BRASIL, Decreto 6755 de 29 de Janeiro de 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica.

BRASIL, Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

BRASIL, Plano de Desenvolvimento da Educação: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=content&task=view&id=593&Itemid=910&sistemas=1, acesso em: 5 de março de 2009.

CUNHA, Luiz Antonio. O desenvolvimento meandroso da educação brasileira entre o estado e o mercado.Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 809-829, out. 2007

TORRES, M.R. Melhorar a qualidade da Educação Básica ?: as estratégias do Banco Mundial. DE TOMASI, L.; WARDE, M.J.; HADDAD,S (Orgs). O Banco Mundial e as políticas educacionais.São Paulo: Cortez.1998.

EDNIR, M. e BASSI, Marcos. Bicho de Sete Cabeças: Para Entender o Financiamento da Educação Brasileira, Madza Ednir e Marcos Bassi, 176 págs., Ed. Peirópolis

GATTI, Bernadete e BARRETO, E SS. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília:UNESCO,2009.

LIBÂNEO, JC. Alguns aspectos da política educacional do governo Lula e sua repercussão no fucionamento das escolas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.32, p. 168-178, dez.2008. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/edicoes/32/art12_32.pdf

SAVIANI, Dermeval. A nova lei a educação: trajetória, limites e perspectivas. Campinas, S.P.: Autores Associados, 1997.

SAVIANI, Dermeval. Política educacional brasileira: limites e perspectivas. Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, n. 24, p. 7-16, junho 2008.

VALENTE, Ana Lúcia. Ação afirmativa. Relações raciais e educação básica. In Anped. Revista Brasileira de Educação, 2005, n 28 p.62 a 76.

 

EL284 – Educação Matemática Escolar I

Vetor: OF:S-2T:001P:001L:000O:000D:000HS:002SL:002C:002AV:NEX:NFM:75%

Pré-requisito: Não há

Ementa: O objetivo deste curso é promover análise e estudo de Problemas e perspectivas da Educação Matemática brasileira.

Objetivos

  • Problematizar (por distinção e caracterização) a educação matemática como atividade educativa escolar e como atividade de pesquisa científico-acadêmica;
  • Problematizar (por distinção e caracterização) o campo das matemáticas como um conjunto de práticas socioculturais mobilizadoras de cultura matemática em diferentes atividades humanas, desenvolvidas por diferentes comunidades de prática, dentre elas, a comunidade de matemáticos profissionais e a comunidade de educadores matemáticos;
  • Problematizar (por distinção e caracterização) perspectivas filosófico-educacionais relativas à educação matemática escolar brasileira, desenvolvidas ao longo da história, bem como algumas das respectivas práticas culturais escolares mobilizadoras de cultura matemática, por elas valorizadas e promovidas, e que circularam em programas ou propostas oficiais, em livros didáticos, em livros de didática e/ou de metodologia de ensino da matemática, em textos de história e filosofia da matemática, da educação e da educação matemática.
  • Capacitar os futuros professores para a leitura e análise problematizadora de produções discursivas acadêmicas relativas à educação matemática escolar, bem como para a inserção crítica no debate contemporâneo relativo à educação matemática escolar.
  • Capacitar os futuros professores para a produção de trabalhos compartilhados de iniciação à pesquisa em educação.
  • Capacitar os futuros professores para a produção de textos acadêmicos escritos, bem como para a comunicação e problematização orais de leituras e/ou trabalhos de investigação realizados.

 

Temas a serem desenvolvidos

Tema 1: As formações matemáticas do matemático e do professor de matemática; licenciatura em matemática e bacharelado em matemática, matemática e educação matemática como campos de pesquisa acadêmica; matemática escolar e matemática acadêmica.

Tema 2: Perspectivas filosófico-metodológicas relativas à matemática e à educação matemática escolar: perspectiva formalista clássica; perspectiva verbalista-mnemônica; perspectiva sensualista-empirista; perspectiva formalista estrutural; perspectiva construtivista; perspectivas antropológico-culturais (etnomatemática); perspectiva wittgensteiniana.

Tema 3: Cultura matemática escolar e cultura matemática em atividades não escolares.

Tema Transversal: Campos numéricos, com ênfase na problematização histórico-filosófica dos números naturais e operações com números naturais.

 

Trabalhos de investigação em grupos:

Esses trabalhos têm por objetivos: investigar práticas mobilizadoras de cultura matemática em diferentes atividades humanas não escolares, estabelecendo analogias e diferenças com as práticas escolares; discutir formas de problematizar tais práticas na atividade educativa escolar. 3.2 Proposta de roteiro para a realização dos trabalhos de investigação :Escolha de uma prática (e de outras a elas conectadas) mobilizadora de cultura matemática; Investigação indireta de uma ou mais atividades humanas (bem como das comunidades de prática que desenvolveram/desenvolvem essas atividades) nas quais tal prática é realizada; pesquisa etnográfica dessas atividades e da prática eleita, o que supõe observações, conversas informais e/ou entrevistas com integrantes das comunidades que desenvolvem essas atividades, bem como acompanhamento de integrantes dessas comunidades na realização individual ou coletiva dessas práticas; descrição detalhada das ações realizadas e dos modos como objetos matemáticos se acham envolvidos nessas atividades, bem como dos modos como os sujeitos lidam com eles no contexto dessas atividades; análise comparativa entre os modos como a prática eleita é realizada nas diferentes atividades não escolares e os modos como elas são realizadas no contexto escolar (caso o seja); discussão acerca de formas possíveis de se problematizar a prática investigada no contexto escolar.

 

Textos a serem lidos e resenhados

Texto 1: MOREIRA, Plínio C.; DAVID, Maria Manuela M.S (2005). A formação matemática do professor: licenciatura e prática docente escolar. Belo Horizonte: Autêntica. (Ler Introdução; capítulo 1; capítulo 2).

Texto 2: MOREIRA, Plínio C.; DAVID, Maria Manuela M.S (2005). A formação matemática do professor: licenciatura e prática docente escolar. Belo Horizonte: Autêntica. (Ler capítulo 3).

Texto 3: MIGUEL, Antonio; VILELA, Denise S. (2008). Práticas escolares de mobilização de cultura matemática. Cadernos CEDES, vol. 28/n. 74 – jan./abr. 2008, pp. 97-120. São Paulo: Cortez; Campinas, CEDES.

Texto 4: LAVE, Jean (2000). Do lado de fora do supermercado. In: FERREIRA, Mariana K. L. (Org.). Idéias matemáticas de povos culturalmente distintos. São Paulo: Global Editora, 2000.

Texto 5: SÄLJÖ, Roger; WYNDHAMN, Jan (2001). Resolución de problemas cotidianos em un ambiente formal: um estúdio empírico de la escuela como contexto para el pensamiento. . In: CHAIKLIN, Seth; LAVE, Jean (Comps.). Estudiar las prácticas: perspectivas sobre actividad y contexto. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 2001, pp. 353-367.

Texto 6: ËNGESTRÖM, Y. (1991). Non scolae sed vitae discimus: Como superar a encapsulação da aprendizagem escolar. In: DANIELS, Harry (Org.). Uma introdução a Vygotsky. São Paulo: Edições Loyola, 2002, p. 175-197.

Texto 7: SKOVSMOSE, Ole (2001). Competência democrática e o conhecer reflexivo na matemática. In: SKOVSMOSE, O. Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. Campinas: Papirus, 2001, p. 65-96.

 

Textos de apoio ao desenvolvimento das aulas e do trabalho de investigação

TA 1 - GOTTSCHALK, Cristiane M. C. (2008). A construção e transmissão do conhecimento matemático sob uma perspectiva wittgensteiniana. Cadernos CEDES, vol. 28/n. 74 – jan./abr. 2008, pp. 97-120. São Paulo: Cortez; Campinas, CEDES.

TA 2 - ABREU, Guida (1995). A teoria das representações sociais e a cognição matemática. Quadrante, vol.4, n. 1, 1995.

TA 3 - GIRARDI, Giovana (Ed.). (2006). Etnomatemática. Edição especial n. 11 da revista Scientific American. São Paulo: Duetto Editorial, 2006. Leitura de toda a revista.

TA 4 - HUTCHINS, Edwin. El aprendizaje de la navegación. In: CHAIKLIN, Seth; LAVE, Jean (Comps.). Estudiar las prácticas: perspectivas sobre actividad y contexto. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 2001, pp. 49-77.

TA 5 - KELLER, Charles; KELLER, Janet D. Pensar y actuar con hierro. In: CHAIKLIN, Seth; LAVE, Jean (Comps.). Estudiar las prácticas: perspectivas sobre actividad y contexto. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 2001, pp. 141-158.

TA 6 - LAVE, Jean. A selvageria da mente domesticada. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 46, outubro de 1996.

TA 7 - SKOVSMOSE, Ole (2005). Guetorização e globalização: um desafio para a Educação Matemática. Zetetiké, vol.13, número 24, julho/dezembro de 2005, pp. 113-142.

 

Bibliografia :

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

DANIELS, Harry (Org.). Uma introdução a Vygotsky. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

FERREIRA, Luiz René. Matemática escolar: conceitos no cotidiano da vida profissional. In: Zetetiké, Cempem, FE-Unicamp, vol. 14, n. 26, jan/jun. 2006, pp. 121-135.

GIRARDI, Giovana (Ed.). (2006): Etnomatemática. Edição especial n. 11 da revista Scientific American. São Paulo: Duetto Editorial, 2006.

GOTTSCHALK, Cristiane M. C. A construção e transmissão do conhecimento matemático sob uma perspectiva wittgensteiniana. Cadernos CEDES, vol. 28/n. 74 – jan./abr. 2008, pp. 97-120. São Paulo: Cortez; Campinas, CEDES.

JONES, P.S.; BUNT, L.N.H.; BEDIENT, J.D. (1988). The historical roots of elementary mathematics. Dover. N.Y., 1988.

KNIJNIK, Gelsa. Cultura, currículo e matemática oral na educação de jovens e adultos. In: MENDES, J. R.; GRANDO, R. C. (Orgs.). Múltiplos olhares: Matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa Editora, 2007, pp. 31-47.

LINS, Rômulo C. Matemática, monstros, significados e educação matemática. In: BICUDO, Maria Aparecida V.; BORBA, Marcelo C. (Orgs.). Educação Matemática: pesquisa em movimento. São Paulo: Cortez Editora, 2004, pp. 92-120.

MENDES, Jackeline Rodrigues. Matemática e práticas sociais: uma discussão na perspectiva do numeramento. In: MENDES, J. R.; GRANDO, R. C. (Orgs.). Múltiplos olhares: Matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa Editora, 2007, pp. 11-29.

MIGUEL, Antonio (2005). Números irracionais: a constituição de um estudo histórico-pedagógico. In: História da Matemática em atividades didáticas. Natal: Editora da UFRN, 2005, pp. 89-156.

MIGUEL, Antonio; VILELA, Denise Silva (2008). Práticas escolares de mobilização de cultura matemática. Cadernos CEDES, vol. 28/n. 74 – jan./abr. 2008, pp. 97-120. São Paulo: Cortez; Campinas, CEDES.

MONTEIRO, Alexandrina et ali (2007). Etnomatemática e prática social: considerações curriculares. In: MENDES, J. R.; GRANDO, R. C. (Orgs.). Múltiplos olhares: Matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa Editora, 2007, pp 49-63.

MOREIRA, Plínio C.; DAVID, Maria Manuela M.S (2005). A formação matemática do professor: licenciatura e prática docente escolar. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

ROSA, Milton; OREY, Daniel Clark (2005). Tendências atuais da etnomatemática como um programa: rumo à ação pedagógica. In: Zetetiké, Cempem, FE-Unicamp, vol. 13, n. 23, jan/jun. 2005, pp. 121-136.

SKOVSMOSE, Ole (2005). Guetorização e globalização: um desafio para a Educação Matemática. Zetetiké, vol.13, número 24, julho/dezembro de 2005, pp. 113-142.

SKOVSMOSE, Ole (2006). Diálogo e aprendizagem em educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

SOUZA, Eliana da Silva (2005). A prática social do cálculo escrito na formação de professores: a história como possibilidade de pensar questões do presente. Tese de Doutorado. Campinas: Faculdade de Educação da UNICAMP, 2005.

VILELA, Denise Silva. Reflexão filosófica acerca dos significados matemáticos nos contextos da escola e da rua. Texto apresentado em comunicação oral no GT de Filosofia da Educação Matemática do III SIPEM. Águas de Lindóia, 2006, 12 páginas.

WALKERDINE, Valerie. Diferença, cognição e educação matemática. In: KNIJINIK, Gelsa e outros (Orgs.). Etnomatemática, currículo e formação de professores. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004, pp. 109-123.

 

EL285 – Conhecimento em Física Escolar I

Vetor: OF:S-5T:001P:001L:000O:000D:000HS:002SL:002C:002AV:NEX:NFM:75%

Pré-requisito: Não há 

Ementa: Análise de questões específicas do ensino da física e de campos e conhecimentos envolvidos em propostas de solução para essas questões.

Objetivos: Contribuir para que o licenciando:1) Analise criticamente e se posicione quanto às suas representações sobre ciência e ensino, e especialmente sobre o ensino da física no grau médio; 2) Numa pesquisa em ensino de física, compreenda o funcionamento de suas partes (objetivos, procedimentos, aportes teóricos e resultados); 3) Analise criticamente alguns aspectos da produção científica e suas relações com o conhecimento escolar;

Atividades Previstas: participação em exposições orais, leituras coletivas, e assistência de vídeos; leituras individuais; participação em discussões em pequenos grupos ou com a classe toda; elaborações escritas de análise e síntese de textos; produção e solução de questões relativas aos conteúdos trabalhados na disciplina.

Avaliação: 1) uma avaliações escrita; 2) entrega semanal de síntese das ideias centrais e dúvidas levantadas na leitura dos textos propostos 3) redação e exposição da síntese de um "Resumo Estendido". Este deve abordar a seguinte temática: Possíveis Soluções Para Um Problema Identificado Na Física Do Ensino Médio. O problema deve ser identificado a partir da memória sobre o ensino médio e/ou das leituras e discussões ocorridas em aulas anteriores de EL285. A redação do texto completo deve se sustentar em pelo menos um textos da bibliografia básica, sendo livre a escolha de outros possíveis textos de apoio.

 

Bibliografia Básica

 

ALMEIDA, Maria José P. M A luz: enfoque no ensino médio e representações de estudantes, In Pro - Posições 7 (1) 1996, 34-40. http://mail.fae.unicamp.br/~proposicoes/textos/19_artigo_almeidamjpm.pdf

ALMEIDA, Maria José P. M. Lendo um físico na escola. In: Discursos da ciência e da escola ideologia e leituras possíveis. Campinas: Mercado de Letras: Campinas 2004. 95-126.

KUHN, Thomas S. A função do dogma na investigação científica. In: DEUS, Jorge Dias de (Org.) A crítica da ciência. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1974. p. 51-66.

NARDI, Roberto; ALMEIDA, Maria José P. M. Investigação em Ensino de Ciências no Brasil segundo pesquisadores da área: alguns fatores que lhe deram origem. Pro-Posições, v. 18, n.1 (52) -2007. 213-226. http://mail.fae.unicamp.br/~proposicoes/edicoes/texto105.html

PEDUZZI, Luiz O. Q. Sobre a utilização didática da história da ciência. In Pietrocola, M. (Org.) Ensino de Física: conteúdo, metodologia e epistemologia numa concepção integradora. Florianópolis: Editora da UFSC, 2001, 125-150.

PENA, Fábio L. A. Por que, nós professores de física do ensino médio, devemos inserir tópicos e idéias de física moderna e contemporânea na sala de aula? Revista Brasileira de Ensino de Física, v.28, n.1 2006. p1-2. http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/v28_1.pdf

ROBILOTTA, Manoel Roberto; O cinza, o preto – da relevância da história da ciência no ensino da física, Cad. Cat. Ens. Fís. Florianópolis, 5(número especial) 7-22, jun 1988. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/10071/14902

SOUZA CRUZ, Sonia Maria; Zylberstajn, Aden. O Enfoque Ciência, Tecnologia e Sociedade e a Aprendizagem Centrada em Eventos. In Pietrocola, M. (Org.). Ensino de Física: Conteúdo, metodologia e epistemologia numa concepção integradora. Florianópolis: Editora da UFSC, 2001, 171-196.

ZANOTTELLO, Marcelo; ALMEIDA, Maria José P. M. Produção de sentidos e possibilidades de mediação na física do ensino médio: leitura de um livro sobre Isaac Newton. Revista Brasileira de Ensino de Física. 29 (3) 437-446. 2007 http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/061205.pdf

 

EL511 - Psicologia e Educação

Vetor: OF:S-5 T:002 P:002 L:000 O:002 D:000 HS:006 SL:004 C:006 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: Não há

Ementa: Contribuições da psicologia para o estudo e compreensão de questões relacionadas à Educação, considerando as possibilidades de atuação dos estudantes em sua área de formação. Inserção em contextos educativos e análise do cotidiano escolar

Objetivos

Geral: Compreender e analisar as contribuições da Psicologia para a práxis pedagógica do professor, considerando os aspectos institucionais relacionados ao cotidiano e à gestão escolar. Específicos:- Identificar e analisar as contribuições de diferentes perspectivas teóricas em relação ao processo de ensino, aprendizagem e desenvolvimento;- Compreender os mecanismos envolvidos na aquisição do conhecimento, nas relações interpessoais e suas implicações para atuação docente;- Identificar e analisar as condições de mediação envolvidas no espaço escolar e suas relações com o processo de ensino-aprendizagem.

Conteúdo Programático:- Psicologia e Educação: aspectos históricos e cenário atual- Perspectivas teóricas em Psicologia- Pluralidade teórica da Psicologia: os principais sistemas- As ideias de autores clássicos na Psicologia (Skinner, Bandura, Piaget)- Contribuições da Psicologia para a atuação docente- Decisões do professor para o planejamento e o desenvolvimento do ensino- Condições institucionais: gestão democrática e trabalho coletivo

Temáticas Específicas- Afetividade - Motivação- Estratégias de aprendizagem- Juventude

Procedimentos Metodológicos Metodologia participativa; exposição dialogada; leituras; trabalhos em grupo e individuais; relatos de experiências; debates; discussão de filmes, estratégias de dinâmica de grupo; atividades práticas e de orientação.

Atividades Práticas Trata-se de uma aproximação à realidade escolar que visa o conhecimento da ação do professor e do contexto educativo, problematizando a relação entre os conteúdos teóricos tratados na disciplina e a prática do professor.

Bibliografia

DELVAL, J. A Escola Possível: Democracia, participação, autonomia. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2008

DELVAL, J. (2003) Jean Piaget: Construtivismo. Pedagogias do século XX. Porto Alegre: ArtMed.

LEITE, S.A.S. Retomando uma velha questão: a relação herança e meio-ambiente. Carvalho, A.M.(org.). O mundo social da criança: natureza e cultura em ação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999

LEONTIEV, A. O homem e sua cultura. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1964.

NAVES, M.L.P. (2010) Piaget e as Ideias Modernas sobre Educação: Um Estudo dos Escritos Educacionais de Jean Piaget Publicados entre os Anos de 1920 a 1940. Cadernos de História da Educação. Uberlândia: v. 9, n. 2, p. 455-464, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/11457

RAMOZZI-CHIAROTTINO, Z. Os “estágios” do desenvolvimento da inteligência. Coleção Memória da Pedagogia: Jean Piaget (nº1). Rio de Janeiro: Ediouro; São Paulo: Segmento-Dueto, 2005.

SINGER, H. Aprendendo em liberdade. In: Angela Maria Souza Martins e Nailda Marinho da Costa Bonato (org.), Trajetórias Históricas da Educação, Rio de Janeiro: Rovelle Ed, abril, 2009.

SMOLKA, A. L. B.; FONTANA, R.C.; LAPLANE, A.; CRUZ, N. A questão dos indicadores de desenvolvimento: apontamentos para discussão. Caderno de Desenvolvimento Infantil. Curitiba CRDI/CNBB, v. 1. n.1, 1994.

VINHA, T.P.; MANTOVANI DE ASSIS, O.Z. O direito de aprender a conviver: O ambiente escolar e o desenvolvimento da autonomia moral segundo a perspectiva construtivista. Anais do XXIV Encontro Nacional de Professores do Proepre: O direito de Aprender. Campinas, SP: Faculdade de Educação, Unicamp; Art Point, 2008.

VINHA, T.P; TOGNETTA, L.R.P. A comunicação entre escola e família por meio dos bilhetes ou notificações eletrônicas. In: Livro do III Congreso Internacional de convivencia escolar.Almeria/Espanha; 2013. NO PRELO

VYGOTSKY, L. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

 

EL683 - Escola e Cultura

Vetor: OF:S-5 T:002 P:002 L:000 O:002 D:000 HS:006 SL:004 C:006 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: Não há 

Ementa: Dimensões da escola e da cultura na pesquisa e no conhecimento em Educação.

Objetivos Esta disciplina pretende analisar a constituição histórica da escola, procurando problematizar as relações entre a escola e a cultura e, mais especificamente, entre a forma escolar e outros modos de socialização das crianças e jovens. Com base na interrogação sobre o funcionamento da escola e sobre as representações da escola e dos sujeitos da escolarização, postas em circulação em diferentes registros culturais, busca examinar a cultura escolar, em seus vínculos com a sociedade e a cultura. Atenta, nesse sentido, para as dimensões da materialidade da escola, dos espaços e tempos escolares, da escolarização dos saberes, das práticas escolares, das relações entre mestres e alunos, bem como das formas de exercício do poder que se estabelecem em seu interior, visando compreender o processo de institucionalização da escola como agência privilegiada de socialização da infância na Modernidade.

Conteúdo Escola, cultura e forma escolar : a constituição da escola moderna, invenção da forma escolar, invenção da forma escolar. Escolarização, práticas culturais e práticas escolares : a escola e a constituição da especificidade da infância, cultura escolar, espaços e tempos da escolarização , escolarização dos saberes e práticas escolares, relação pedagógica e formas de exercício do poder.

Metodologia Serão adotados os seguintes procedimentos: leitura e discussão de textos; aulas expositivas; projeção e discussão de filmes; produções individuais e em grupos.

Avaliação O processo de avaliação será contínuo, levando-se em consideração a participação do aluno no conjunto das atividades propostas, bem como a elaboração de fichas de leitura, textos, trabalhos e seminários, individualmente e em grupos.

Bibliografia

AGUIAR, F.; DORIA, O. (orgs.). A escola e a letra. São Paulo: Boitempo, 2009.

CANDAU, V. M. (org.). Linguagens, espaços e tempos no ensinar e aprender. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

DUSSEL, I.; CARUSO, M. A invenção da sala de aula: uma genealogia das formas de ensinar. São Paulo: Moderna, 2003.

FARIA FILHO, L. M.; VIDAL, D. G. Os tempos e os espaços escolares no processo de institucionalização da escola primária no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 14, mai./ago. 2000, p. 19-34.

FERNANDES, R. Cultura de escola: entre as coisas e as memórias. Revista Pro-Posições, v. 16, n. 1 (46), jan/abr. 2005, p. 19-39.

HAMILTON, D. Notas de lugar nenhum: sobre os primórdios da escolarização moderna. Revista Brasileira de História da Educação, n. 1, jan./jun. 2000, p. 45-73.

HILSDORF, M. L. S. O aparecimento da escola moderna: uma história ilustrada. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n. 1, jan./jun. 2000, p. 9-44.

________. Disciplinas escolares: objetivos, ensino e apropriação. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. (orgs.). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

NARODOWSKI, M. Infância e poder: conformação da pedagogia moderna. Bragança Paulista: EDUSF, 2001.

PINEAU, P.; DUSSEL, I; CARUSO, M. La escuela como máquina de educar. Buenos Aires: Paidós, 2001.

SOUZA, R. F.; VALDEMARIN, V. T. (orgs.). A cultura escolar em debate: questões curriculares, metodológicas e desafios para a pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2005.

TANURI, L. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, n. 14, mai./ago. 2000, p. 61-89.

VIDAL, D. G. Culturas escolares: estudo sobre práticas de leitura e escrita na escola pública primária (Brasil e França, final do século XIX). Campinas: Autores Associados, 2005.

VIÑAO FRAGO, A. Espaços, usos e funções: a localização e disposição física da direção escolar na escola graduada. In: BENCOSTA, M. L. A. (org.). História da educação, arquitetura e espaço escolar. São Paulo: Cortez, 2005. p. 15-47.

 

EL684 – Educação Matemática Escolar II

Vetor: OF:S-5 T:002 P:002 L:000 O:002 D:000 HS:006 SL:004 C:006 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: EL284

Ementa : O objetivo deste curso é promover uma problematização multidimensional do conhecimento matemático escolar na perspectiva da Educação Matemática.

 

1 Objetivos : Realizar estudos históricos e investigativos de práticas socioculturais escolares, sobretudo daquelas que têm sido realizadas em aulas de Matemática da Escola Básica brasileira; Realizar estudos epistemológicos sobre temas matemáticos do currículo da Escola Básica; Resgatar e desenvolver o letramento matemático do aluno, tanto no aspecto autônomo quanto no ideológico.

 

2 Temática

2.1 - Temáticas gerais Modos de ver e conceber o ensino e a aprendizagem da Matemática no Brasil, Educação Numérica, Educação Algébrica, Educação Geométrica, Educação Estatística

1 Todas as temáticas pressupõem a leitura dos PCN:

PCN Matemática E. F.: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro03.pdf

PCN Matemática E. M.: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencian.pdf

Orientações Curriculares Nacionais E.M.:http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf

 

2.2 - Temas para os seminários sob responsabilidade dos alunos

1) Sobre o estudo da aritmética e da álgebra 2) O problema da medida 3) Dos racionais aos reais 4) Dos naturais aos complexos 5) Sistemas lineares, matrizes e determinantes 6) Os logaritmos na cultura escolar brasileira 7) Análise combinatória e probabilidade 8) Do espaço ao plano e vice-versa 9) Trigonometria no triângulo retângulo 10) Fractais 11) Geometria com régua e compasso 12) Geometrias não-euclidianas 13) Sequências, regularidades e progressões 14)Estatística ou aritmética do bem estar humano

 

Atividades previstas e sua caracterização

As aulas do curso serão de três tipos: seminários sob responsabilidade dos docentes, relatos de memórias escolares, orientação dos trabalhos dos grupos e seminários sob responsabilidade dos grupos de alunos.

Além das atividades realizadas em sala de aula, os alunos deverão ler os textos, elaborar as memórias de práticas escolares e colaborar na elaboração do seminário sob responsabilidade de seu grupo.

Produção de memórias de práticas escolares articuladas com os textos básicos de cada uma das quatro temáticas. Elaboração individual de quatro “memórias de práticas escolares” referentes às temáticas gerais. Seminários sob responsabilidade do grupo de alunos

Serão constituídos no máximo oito grupos de alunos, os quais escolherão um tema para elaborar um seminário. Nesse seminário, os alunos podem escolher o foco de sua abordagem, destacando os aspectos que julgarem mais adequados. Avaliação

A avaliação será realizada durante todo o semestre e levará em consideração tanto a participação individual quanto do seminário desenvolvido em grupo.

 

Bibliografia

BARBOSA, Ruy Madsen. Descobrindo a geometria fractal para a sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

BONETO, G. A. Uma constituição histórica (1965-1995) de práticas escolares mobilizadoras do objeto cultural “função” na cidade de Campinas (SP). Tese de doutorado. Campinas: FE-UNICAMP, 2008.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio. Parte III: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2000. (Arquivo Digital).

BRASIL. Orientações Curriculares do Ensino Médio. Volume 2: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Secretaria de Educação Básica Brasília: MEC, 2006. (Arquivo Digital).

BRITO, Arlete de Jesus. Geometrias não-euclidianas: um estudo histórico-pedagógico. Campinas: Dissertação de Mestrado, FE-UNICAMP, 1995.

BRITO, Arlete de Jesus et alli. História da Matemática em atividades didáticas. Natal: Editora da UFRN, 2005.

EVES, H. História da Geometria, tradução Hygino H. Domingues. São Paulo: Atual Editora, 1992.

EVES, H. Introdução à História da Matemática. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

FLORES, Cláudia. Olhar, saber, representar: sobre a representação em perspectiva. São Paulo: Musa Editora, 2007.

MIORIM, Maria Ângela. Introdução à história da Educação Matemática. São Paulo: Atual Editora, 1998.

MIORIM, M. A.; MIGUEL, A. Os logaritmos na cultura escolar brasileira. Natal: SBHMat, 2002.

ONGAY, Fausto. Máthema: el arte del conocimiento. México, D.F.: Fondo de Cultura Económica, 2000.

SOLOMON, Charles. Matemática, tradução Maria Pia de Macedo Charlier e René François Joseph Charlier. São Paulo: Melhoramentos/Editora da USP, 1975.

VELOSO, E. et al. (org.) Ensino de Geometria no virar do milénio. Lisboa: Grafis, 1999.

 

EL774 - Estágio Supervisionado I

Vetor: OF:S-5 T:000 P:004 L:000 O:004 D:000 HS:008 SL:004 C:008 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: AA445 EL211 EL511 EL683/ AA200 AA445/ AA445 EF632 EF832 EL683

Ementa: Imersão no campo de trabalho, que propicie ao professor, em formação inicial, o contato com experiências, práticas e conhecimentos de natureza profissional, tanto na escola quanto em espaços educativos não escolares. Conhecer as características das instituições educativas no contexto socioeconômico cultural brasileiro, articulando as diferentes formas de ensino-aprendizagem, de gestão e de organização.

Objetivos: Possibilitar aos estudantes contato com o trabalho profissional em diferentes instâncias educativas. Para tanto, deverão conhecer as características desse trabalho, das formas mais diversificadas possíveis, para pensarem, planejarem e desenvolverem atividades em diferentes espaços da instituição que os recebeu. Estas atividades podem ser desenvolvidas não apenas em sala de aula, ou no âmbito exclusivo de suas disciplinas curriculares, mas sim no âmbito institucional do campo de estágio.Conhecer os processos que envolvem a gestão e a organização do trabalho na instituição escolhida para o estágio a partir do acompanhamento, observação, bem como, colaboração com as práticas de gestão desenvolvidas pelos membros da equipe gestora.

Metodologia: partir de uma cooperação com o corpo pedagógico da instituição e seus usuários, o estagiário deverá discutir, planejar e desenvolver ações educativas acompanhadas pelos profissionais do campo de estágio e pelos professores responsáveis pela disciplina na universidade, seja na fase de planejamento, execução ou avaliação. Serão etapas deste processo:- Descrever e analisar as práticas de ensino e aprendizagem vigentes, para conhecer e compreender suas características e seus problemas e desafios. - Projetar e desenvolver um plano de intervenção na prática escolar da instituição que os acolheu, prevendo o desenvolvimento do mesmo; tais atividades podem ser desenvolvidas tanto em sala de aula nas diferentes disciplinas curriculares, como em outros espaços educativos dentro do campo de estágio, sempre com a supervisão dos profissionais da escola.- Documentar as ações de intervenção e analisá-las/interpretá-las coletivamente tanto no âmbito escolar quanto no âmbito da turma de estágio na Unicamp. - Escrever o relatório final de estágio e socializar as experiências de estágio com a comunidade escolar e acadêmica.

Avaliação: Os alunos serão avaliados pelo conjunto das produções (textos; resenhas; sínteses e relatórios de leitura; produções audiovisuais; etc.) ao longo do semestre e seu desempenho nas atividades de campo. Um relatório contendo a descrição das atividades e uma reflexão sobre os sentidos destas para a formação deverá ser elaborado e entregue ao responsável pela disciplina, e posteriormente anexado ao sistema SAE.

 

Bibliografia

ABRAMOVAV, M. et alii (2006) – Cotidiano das escolas: entre violências. Brasil:UNESCO-MEC: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000145265_por

ABREU, R. e NICOLACI-DA-COSTA, A. M. Mudanças geradas pela internet no cotidiano escolar: as reações dos professores, in Paidéia, 2006.

ALVES, Nilda. No cotidiano da escola se escreve uma história diferente da que conhecemos até agora, in COSTA, Marisa Vorraber. A Escola tem Futuro? RJ: DP&A, 2006.

AQUINO, J. (1998) – A violência escolar e a crise da autoridade docente. Cadernos do Cedes. Ano XIX, n. 47.

BASSO, Itacy. Significado e sentido do trabalho docente. Cadernos do CEDES. Vol.19, n.44. Campinas. 1998.

BOURDIEU, P. “A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura” Escritos de educação. (Org) M. A. Nogueira e A. Catani, Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

BRASIL. Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional. Lei n. 9394 de 20 dez de 1996.

CAVALCANTE, Luciana Matias (e outros) As complexas relações no espaço da sala de aula, in THERRIEN, Jacques e DAMASCENO, Maria Nobre (orgs.) Artesãos de Outro Ofício: múltiplos saberes e práticas no cotidiano escolar. SP: Annablume; Fortaleza: Secretaria da Cultura e Desporto do Governo do Estado do Ceará, 2000.

CHARLOT, Bernard. O professor na sociedade contemporânea: um trabalhador da contradição. Revista da FAEEBA: educação e contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 30, jul./dez. 2008.

CHARLOT, Bernard. A mobilização no exercício da profissão docente. Revista Contemporânea de Educação, v. 13, p. 9-25, 2012

CHARTIER, A. M. Fazeres ordinários da classe: uma aposta para a pesquisa e a formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 157-168, jul./dez. 2000.

COSTA, Marisa V. Trabalho docente e profissionalismo. Porto Alegre, Sulina, 1995.

ESTEVE, José Manoel. O mal-estar docente; a sala de aula e a saúde dos professores. São Paulo: EDUSC. 1999.

DAYRELL, Juarez, A escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, J. (org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996. p. 137-161.

FIORENTINI, D. Diários e narrativas reflexivos sobre a prática de ensinar e aprender. In: KLEINE, M.U; MEGID NETO, J. (Org.). Fundamentos de Matemática, Ciências e Informática para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental I. Vol. 2, Campinas: FE/Unicamp, 2010, p. 107-119.

FREITAS, L. C. Políticas de avaliação no Estado de São Paulo: o controle do professor como ocultação do descaso. Educação e Cidadania, v.8, n.1, 2009.

FUNARI, Pedro Paulo e ZARANKIN, Andrés. Cultura Material Escolar: o papel da arquitetura. Pro-Posições - Revista Quadrimestral da F.E. - Unicamp – Campinas-SP, v.16, n.1 (46) jan./abril 2005, p.135-144

HELOANI, R; PIOLLI, E. Educação, economia e Reforma do Estado: algumas reflexões sobre a gestão e o trabalho na educação. Revista Apase, n.11, p.14-21, maio 2010.

HELOANI. Gestão e organização no capitalismo globalizado: história da manipulação psicológica no mundo do trabalho.São Paulo: Atlas, 2003.

HYPOLITO, Alvaro Moreira. Processo de trabalho na escola: Algumas categorias para análise. Teoria & Educação, n. 4, Porto Alegre, RS: Pannonica Editora Ltda. 1991. p. 3-21.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 1, p. 9-43, jan./jul. 2001.

LIMA, Licínio C. A escola como organização educativa.3 ed. São Paulo: Cortez. 2008.

LOPES, Alice Casimiro. Políticas de Integração Curricular. RJ: Ed. UERJ, 2008.

OLIVEIRA, Dalila A. Mudanças na organização e na gestão do trabalho na escola. In. OLIVEIRA, D A. e ROSAR, F.F. (orgs). Política e gestão da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. pp. 125-143.

PASOLINI, Pier Paolo. Gennariello: a linguagem pedagógica das coisas. In: Os jovens infelizes. São Paulo, Brasiliense, 1990.

PIOLLI, Evaldo. Sofrimento e reconhecimento: o papel do trabalho na constituição da identidade. Revista USP. nº 88. 2011. Pp 172-182.

TRAGTENBERG, Mauricio. A escola como organização complexa. Sobre Educação, Política e Sindicalismo 3ª edição revisada.São Paulo: Editora UNESP. 2004.

TURA, Maria de Lourdes Rangel. A observação do cotidiano escolar, in ZAGO, Nadir; CARVALHO, Marília Pinto e VILELA, Rita Amélia (orgs.) Itinerários de Pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação.RJ: DP&A, 2003.

ZAN, Dirce. Currículo em Movimento, in BOSCO, Zelma Regina (org.) Ensaios: perspectivas e pressupostos para uma discussão curricular na Rede Municipal de Campinas. Campinas: Set Gráfica Editora, 2009.

 

EL874 - Estágio Supervisionado II

Vetor: OF:S-5 T:000 P:004 L:000 O:004 D:000 HS:008 SL:004 C:008 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: EL774/ EL212 EL221 EL511 EL683

Ementa: Atuação no campo de trabalho que propicie ao professor em formação o contato com experiências, práticas e conhecimentos de natureza profissional, articulando as diferentes formas de ensino-aprendizagem, de gestão e de organização. Trabalho de campo orientado para a avaliação dos componentes da prática educativa, procurando compreendê-la a partir dos contextos nos quais se desenvolvem. Elaboração e implementação de projetos e propostas que ampliem as alternativas de intervenção e atuação.

Objetivos: Possibilitar aos estudantes em fase de conclusão de curso uma aproximação mais regular e sistemática do trabalho profissional, acompanhada da reflexão e compartilhada com profissionais já formados – supervisores de estágio - com os professores orientadores e colegas de disciplina. Elaborar e desenvolver proposta de intervenção que exijam do futuro professor uma atuação em situações de ensino, fazendo uso dos dispositivos didáticos pertinentes a cada área.

Metodologia: A partir de uma cooperação com o corpo pedagógico da instituição e seus usuários, o estagiário deverá discutir, planejar e desenvolver ações educativas acompanhadas pelos profissionais do campo de estágio e pelos professores responsáveis pela disciplina na universidade, seja na fase de planejamento, execução ou avaliação. Serão etapas deste processo:- Descrever e analisar as práticas de ensino e aprendizagem vigentes, para conhecer e compreender suas características e seus problemas e desafios. - Projetar e desenvolver um plano de intervenção na prática escolar da instituição que os acolheu, prevendo o desenvolvimento do mesmo; tais atividades podem ser desenvolvidas tanto em sala de aula nas diferentes disciplinas curriculares, como em outros espaços educativos dentro do campo de estágio, sempre com a supervisão dos profissionais da escola.- Documentar as ações de intervenção e analisá-las/interpretá-las coletivamente tanto no âmbito escolar quanto no âmbito da turma de estágio na Unicamp. - Escrever o relatório final de estágio e socializar as experiências de estágio com a comunidade escolar e acadêmica.

Avaliação: Os alunos serão avaliados pelo conjunto das produções (textos; resenhas; sínteses e relatórios de leitura; produções audiovisuais; etc.) ao longo do semestre e seu desempenho nas atividades de campo. Um relatório contendo a descrição das atividades e também uma reflexão sobre os sentidos destas para a formação, o qual será entregue ao responsável pela disciplina e anexado ao sistema SAE.

Bibliografia

ABRAMOVAV, M. et alii (2006) – Cotidiano das escolas: entre violências. Brasil:UNESCO-MEC: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000145265_por

ABREU, R. e NICOLACI-DA-COSTA, A. M. Mudanças geradas pela internet no cotidiano escolar: as reações dos professores, in Paidéia, 2006.

ALVES, Nilda. No cotidiano da escola se escreve uma história diferente da que conhecemos até agora, in COSTA, Marisa Vorraber. A Escola tem Futuro? RJ: DP&A, 2006.

AQUINO, J. (1998) – A violência escolar e a crise da autoridade docente. Cadernos do Cedes. Ano XIX, n. 47.

BASSO, Itacy. Significado e sentido do trabalho docente. Cadernos do CEDES. Vol.19, n.44. Campinas. 1998.

BOURDIEU, P. “A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura” Escritos de educação. (Org) M. A. Nogueira e A. Catani, Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

BRASIL. Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional. Lei n. 9394 de 20 dez de 1996.

CAVALCANTE, Luciana Matias (e outros) As complexas relações no espaço da sala de aula, in THERRIEN, Jacques e DAMASCENO, Maria Nobre (orgs.) Artesãos de Outro Ofício: múltiplos saberes e práticas no cotidiano escolar. SP: Annablume; Fortaleza: Secretaria da Cultura e Desporto do Governo do Estado do Ceará, 2000.

CHARLOT, Bernard. O professor na sociedade contemporânea: um trabalhador da contradição. Revista da FAEEBA: educação e contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 30, jul./dez. 2008.; CHARLOT, Bernard. A mobilização no exercício da profissão docente. Revista Contemporânea de Educação, v. 13, p. 9-25, 2012

CHARTIER, A. M. Fazeres ordinários da classe: uma aposta para a pesquisa e a formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 157-168, jul./dez. 2000.

COSTA, Marisa V. Trabalho docente e profissionalismo. Porto Alegre, Sulina, 1995.

CUNHA, Maria Izabel de. O professor e sua prática. 20. ed. Campinas: Papirus, 1989.

DAYRELL, Juarez, A escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, J. (org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996. p. 137-161.

FIORENTINI, D. Diários e narrativas reflexivos sobre a prática de ensinar e aprender. In: KLEINE, M.U; MEGID NETO, J. (Org.). Fundamentos de Matemática, Ciências e Informática para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental I. Vol. 2, Campinas: FE/Unicamp, 2010, p. 107-119.

FREITAS, L. C. Políticas de avaliação no Estado de São Paulo: o controle do professor como ocultação do descaso. Educação e Cidadania, v.8, n.1, 2009.

FUNARI, Pedro Paulo e ZARANKIN, Andrés. Cultura Material Escolar: o papel da arquitetura. Pro-Posições - Revista Quadrimestral da F.E. - Unicamp – Campinas-SP, v.16, n.1 (46) jan./abril 2005, p.135-144

HELOANI. Gestão e organização no capitalismo globalizado: história da manipulação psicológica no mundo do trabalho.São Paulo: Atlas, 2003.

HYPOLITO, Alvaro Moreira. Processo de trabalho na escola: Algumas categorias para análise. Teoria & Educação, n. 4, Porto Alegre, RS: Pannonica Editora Ltda. 1991. p. 3-21.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 1, p. 9-43, jan./jul. 2001.

LIMA, Licínio C. A escola como organização educativa.3 ed. São Paulo: Cortez. 2008.

LOPES, Alice Casimiro. Políticas de Integração Curricular. RJ: Ed. UERJ, 2008.

MIZUKAMI, M. das G. N. Ensino-aprendizagem: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1985.

MOREIRA, Antonio F. B. Currículo: questões atuais. 11. ed. Campinas: Papirus, 2005.

OLIVEIRA, Dalila A. Mudanças na organização e na gestão do trabalho na escola. In. OLIVEIRA, D A. e ROSAR, F.F. (orgs). Política e gestão da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. pp. 125-143.

PASOLINI, Pier Paolo. Gennariello: a linguagem pedagógica das coisas. In: Os jovens infelizes. São Paulo, Brasiliense, 1990.

PIOLLI, Evaldo. Sofrimento e reconhecimento: o papel do trabalho na constituição da identidade. Revista USP. nº 88. 2011. Pp 172-182.

TARDIFF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2012.

TRAGTENBERG, Mauricio. A escola como organização complexa. Sobre Educação, Política e Sindicalismo 3ª edição revisada.São Paulo: Editora UNESP. 2004.

TURA, Maria de Lourdes Rangel. A observação do cotidiano escolar, in ZAGO, Nadir; CARVALHO, Marília Pinto e VILELA, Rita Amélia (orgs.) Itinerários de Pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação.RJ: DP&A, 2003.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Técnicas de ensino: novos tempos, novas configurações. Campinas: Papirus, 2006.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. A aventura de formar professores. Campinas: Papirus, 2009.

ZAN, Dirce. Currículo em Movimento, in BOSCO, Zelma Regina (org.) Ensaios: perspectivas e pressupostos para uma discussão curricular na Rede Municipal de Campinas. Campinas: Set Gráfica Editora, 2009.

 

EL883 - Prática Pedagógica em Matemática

Vetor: OF:S-2 T:001 P:001 L:000 O:000 D:000 HS:002 SL:002 C:002 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito: Não há

Ementa: O objetivo deste curso é promover estudos e investigações da atividade pedagógica em Matemática na escola.

OBJETIVOS Estudar, discutir, problematizar e analisar práticas de ensinar e aprender matemática na escola básica. Serão analisadas práticas típicas do paradigma do exercício e práticas exploratórias e/ou investigativas relativas a situações-problema e/ou projetos, tendo como referências cenários de investigação e de produção e negociação de significados. Problematizar sua própria memória estudantil e memória de futuro professor, focando os diferentes modos de ensinar e aprender matemática na escola. Ler, analisar e produzir seminários sobre histórias e investigações de/em aulas de matemática. Entrevistar professores que tenham uma prática diferenciada.

TEMÁTICA Estudo problematizador das aulas de matemática como espaço de comunicação sócio-cultural e de circulação de formas simbólicas: estudo dos processos interativos e das práticas discursivas que ocorrem nas aulas de matemática. Estudo problematizador da cultura matemática que vem sendo mobilizada em práticas exploratórias e investigativas, as quais são narradas por professores da educação básica. Reflexão sobre memórias de formação, triangulando diários reflexivos, textos narrativos sobre práticas sociais escolares mobilizadoras de cultura matemática, práticas estas desenvolvidas e vivenciadas na escola.

ATIVIDADES PREVISTAS E SUA CARACTERIZAÇÃO Para o desenvolvimento do curso estão previstas três tipos de atividades, uma individual, produção de um memorial de formação e as outras duas em grupo, realização de entrevistas e apresentação de um seminário.

AVALIAÇÃO A avaliação será realizada durante todo o semestre e levará em consideração tanto a participação individual quanto das atividades desenvolvidas em grupo – entrevistas e seminários. Na avaliação individual serão considerados os seguintes aspectos: (1) participação em todas as atividades, inclui-se neste aspecto a frequência; (2) qualidade do memorial produzido; (3) participação no seminário do grupo ao qual pertence; (4) participação e envolvimento durante a apresentação de seminários dos colegas .

BIBLIOGRAFIA

ALRØ, H; SKOVSMOSE, O. Diálogo e Aprendizagem em Educação Matemática, tradução de Orlando Figueiredo. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

CARVALHO, D.L.; CONTI, K. C. (Org.). Histórias de colaboração e investigação na prática pedagógica em matemática: ultrapassando os limites da sala de aula. Campinas: Alínea, 2009.

COELHO, M. A. V. M. P. (org.). De portas abertas – histórias de sala de aula de matemática. São Carlos-SP:Pedro e João Editores, 2009.

CONTI, K. C. As influências afetivas no ensino e na aprendizagem da matemática. In: ALBUQUERQUE, S. R. T. P. (org.). Educação em foco. Itu (SP): Ottoni Editora, 2011, p.81-94. (texto básico)

CRECCI, V. M. Entrevistas Semiestruturadas. Texto apoio elaborado para a disciplina EL284. 2010.

CRISTOVÃO, E. M. Investigando, começamos a aprender a investigar. In: FIORENTINI, D.; CRISTOVÃO, E. M. (org.) Histórias e Investigação de/em Aulas de Matemática. Campinas: Alínea, 2006, p153-172. (texto básico)

FIORENTINI, D.; CRISTOVÃO, E.M. (org.) Histórias e Investigação de/em Aulas de Matemática. Campinas: Alínea, 2006.

FIORENTINI, D.; JIMÉNEZ, A. (org.) Histórias de aulas de Matemática: compartilhando saberes profissionais. Campinas: Editora Gráfica FE/UNICAMP – CEMPEM, 2003.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S.. Investigação em Educação Matemática: Percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006. 252p.

LOPES, Antônio José & GIMENEZ RODRIGUEZ, Joaquim. Materiais manipuláveis e outros recursos. In: LOPES, Antônio José & GIMENEZ RODRIGUEZ, Joaquim. Metodologia para o ensino da aritmética: competência numérica no cotidiano, Cap. 7. São Paulo: FTD, 2009, p.136-159. (texto básico)

LOPES, Antônio José & GIMENEZ RODRIGUEZ, Joaquim. Metodologia para o ensino da aritmética: competência numérica no cotidiano. São Paulo: FTD, 2009.

LOPES, Celi E. Discutindo ações avaliativas para as aulas de matemática. In: LOPES, Celi E. & MUNIZ, Maria Inês S. (org.). O processo de avaliação nas aulas de matemática. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2010, p.135-149. (texto básico)

MIGUEL, Antonio; VILELA, Denise Silva; MOURA, Anna Regina Lanner. Problematização indisciplinar de uma prática cultural numa perspectiva wittgensteiniana. Revista Reflexão e Ação. Santa Cruz do Sul, v. 20, n. 2, pp. 1-26, Jun/Dez de 2012 . Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC (RS). (http://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/index).

MIGUEL, A. Percursos indisciplinares na atividade de pesquisa em história (da educação matemática): entre jogos discursivos como práticas e práticas como jogos discursivos. Bolema, Volume 35A, pp. 1-57. Rio Claro (SP): UNESP, 2010. ISSN: 0103-636X.

SILVA, P. E. Tarefas exploratório-investigativas nas aulas de matemática. In: LOPES, C. E. & CURI, E. (org.). Pesquisas em Educação Matemática: um encontro entre a teoria e a prática. São Carlos: Pedro & João Editores, 208, p.87-111.

SKOVSMOSE, O. Cenários para investigação. In: Bolema, ano 13, no. 14, 2000, p.66-91. (texto básico)

 

Disciplina Libras e Educação de Surdos

Vetor: T 02 P 02 HS 04 CH 60 C 04

Ementa: Conhecimentos teórico-práticos introdutórios de LIBRAS e dos parâmetros que a caracterizam como língua; constituição do sujeito surdo pela LIBRAS; história da educação e as organizações dos movimentos políticos dos surdos; comunidades surdas e suas produções culturais; abordagens educacionais no ensino da pessoa surda; projetos de educação bilíngue; leis de acessibilidade e de garantia à educação.

Objetivos: analisar a história da educação de surdos, políticas públicas e suas implicações educacionais; refletir a respeito da prática docente nesse contexto bilíngue (Libras/Português); construir conhecimentos introdutórios de LIBRAS e formas de comunicação em LIBRAS; possibilitar ao aluno o uso de LIBRAS em contextos reais de comunicação; analisar a história da educação de surdos, políticas públicas e suas implicações educacionais; refletir a respeito da prática docente nesse contexto bilíngue (Libras/Português); construir conhecimentos introdutórios de LIBRAS e formas de comunicação em LIBRAS; possibilitar ao aluno o uso de LIBRAS em contextos reais de comunicação;

Conteúdos: história da educação de surdos; políticas públicas e linguísticas na área da surdez; língua, cultura, discurso e sujeito; língua escrita em LIBRAS e em português; diferença entre contexto escolar bilíngue e escola bilíngue; estudo dos aspectos linguísticos que constituem a LIBRAS; educação bilíngue de minorias;processos tradutórios e práticas pedagógicas; comunidades surdas e suas produções culturais; inclusão/exclusão.

Avaliação prova teórica; prova prática de compreensão e produção em LIBRAS.

BIBLIOGRAFIA

BERNARDINO, Elidéa Lúcia Almeida. O uso de classificadores na língua de sinais brasileira. ReVEL, v.10, n.19, 2012. [www.revel.inf.br].

BOTELHO, Paula. Segredos e silêncios na Educação de Surdos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constitui%C3%A7ao.htm Acesso em: 23 de fev. 2006.; BRASIL. Lei N. 10.436 de 24 de abril de 2002. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.presidencia.gov.br/CCIVIL/LEIS/2002/L10436.htm Acesso em: 18 de abr. 2006. BRASIL. Decreto N. 5626 de 22 de dezembro de 2005. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.presidencia.gov.br/ccivil/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm Acesso em: 18 de abr. 2006.; BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: adaptações curriculares. Brasília: MEC, 1999.

CAPOVILLA, Fernando Cesar; CAPOVILLA, Alessandra Gotuzzo Seabra. Leitura de estudantes surdos: desenvolvimento e peculiaridades em relação à de ouvintes. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v.7, n.2, junho de 2006, p.218-228. Disponível em: http://www.fae.unicamp.br/revista/index.php/etd/issue/view/133 Acesso em: 01 de ago. 2006.

CAVALCANTI, Marilda do Couto. Estudos sobre Educação Bilíngüe e Escolarização em Contextos de Minorias Lingüísticas no Brasil. D.E.L.T.A., vol. 15, no especial, 1999, p.385-417.

GRUPO DE PESQUISA DE LIBRAS E CULTURA SURDA BRASILEIRA. A cultura e a Comunidade dos Surdos Brasileiros. Revista FENEIS, n.3, jul/set. 1999, p.14-15.

FÁVERO, Geni Aparecida, ZACCARO, Hosana Inês da Silva e PIMENTEL Jr, Mario Julio. Revista FENEIS, n.11 - I Conferência dos Direitos e Cidadania dos Surdos do Estado de São Paulo (Condicisur) – São Paulo, 2001, p.8.

FERREIRA-BRITO, Lucinda. Necessidade Psico-Social de um bilingüismo para o surdo. Trab. Ling. Apl., Campinas (14), jul/dez., 1989. p.89-100.; ________. Por uma gramática de Língua de Sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro/UFRJ, 1995.

Ferreira, Geralda Eustáquia. Políticas Públicas nas Atividades dos Movimentos Associativos de pessoas Surdas no Brasil, 1ª parte. Revista FENEIS, Belo Horizonte, n.6, 2000, p.16.; ________. Políticas Públicas nas Atividades dos Movimentos Associativos de pessoas Surdas no Brasil, 2ª parte. Revista FENEIS, Belo Horizonte, n.7, 2000, p.29.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 9ª ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

GESSER, Audrei. Libras? Que língua é essa? São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

GÓES, Maria Cecília Rafael de. Linguagem, surdez e educação. Campinas: Autores Associados, 1996.

KARNOPP, Lodenir Becker. Aquisição fonológica nas línguas de sinais. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 32, n. 4, p.147-62, 1997.; KARNOPP, Lodenir Becker. Aquisição fonológica na língua brasileira de sinais: estudo longitudinal de uma criança surda. Tese (Doutorado). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 1999.

________. Produções do Período Pré-lingüístico. In: Atualidades da educação bilíngüe para surdos. Vol. 2. Carlos Skliar (Org). Ed. 1999. p.165-182.

LODI, Ana Cláudia Belieiro; HARRISON, Katryn Marie Pacheco; CAMPOS, Sandra Regina Leite de. Letramento e surdez: um olhar sobre as particularidades dentro do contexto educacional. In: LODI, Ana Cláudia Belieiro et. al. (Orgs.) Letramento e Minorias. Porto Alegre: Mediação, 2002. p.35-46.

LINS, Heloisa de Matos. Algumas considerações sobre o desenvolvimento da atividade de leitura e a constituição do leitor surdo. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v.7, n.2, junho de 2006, p. 65-75. Disponível em: http://www.fae.unicamp.br/revista/index.php/etd/issue/view/133 Acesso em: 01 de ago de 2006.

MONTEIRO, Myrna Salerno . História dos movimentos dos surdos e o reconhecimento da Libras no Brasil. ETD – Educação Temática Digital , Campinas, v.7, n.2, junho de 2006, p. 292-302. Disponível em: http://www.fae.unicamp.br/revista/index.php/etd/issue/view/133 Acesso em: 01 de ago de 2006.

PERLIN, Gladis. A cultura surda e os intérpretes de língua de sinais (ils). ETD – Educação Temática Digital , Campinas, v.7, n.2, junho de 2006, p.136-147. Disponível em: http://www.fae.unicamp.br/revista/index.php/etd/issue/view/133 Acesso em: 01 de ago de 2006.

QUADROS, Ronice Muller de. Aquisição da Linguagem. Educação de Surdos. Porto Alegre: Editora Artes Médicas, 1997.

QUADROS, Ronice Muller de. & KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de sinais brasileira. Estudos Lingüísticos. Porto Alegre: Ed. Artmed. 2004.

SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: LDB trajetória, limites e perspectivas. Campinas: Autores Associados, 1997.

SILVA, Ivani Rodrigues e FAVORITO, Wilma. Surdos na Escola: Letramento e Bilinguismo. Brasília: MEC/Campinas: CEFIEL/Unicamp, 2009.

SILVEIRA, Rosa Hessel. Contando histórias sobre surdos (as) e surdez. In: COSTA, Marisa Vorraber (Org). Estudos Culturais em Educação. Porto Alegre: Ed Universidade/UFRGS, 2000. p.175-204.

SKLIAR, Carlos. Os estudos surdos em educação: Problematizando a normalidade. In: SKLIAR, Carlos (Org.) A Surdez: Um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Editora Mediação,1998. p.7-32.; SKLIAR, Carlos Bernardo. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse a? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

SOUZA, Regina Maria. Que palavra que te falta? Línguística, educação e surdez. São Paulo: Martins Fontes, 1998; SOUZA, Regina Maria; SILVESTRE, Núria. Educação de Surdos. In: ARANTES; Valéria Amorim (org). Coleção Pontos e Contrapontos. São Paulo: Summus, 3ª edição, 2007.

SOUZA, Tanya Amara Felipe de. Introdução à Gramática da LIBRAS. Artigo publicado pela SEESP. In: Giuseppe Rinaldi et al. Educação Especial Deficiência Auditiva. Série Atualidades Pedagógicas, Brasília, 1997. CDU. p.376.353. ; ________. Bilingüismo e Surdez. Trab. Ling. Apl., Campinas, (14), jul/dez., 1989. p.101-111.

STROBEL, Karin. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: Editora da UFSC, 2008.

SVARTHOLM, Kristina. Bilingüismo dos surdos. In: SKLIAR, Carlos (Org.) Atualidade da Educação Bilíngüe para Surdos: Interfaces entre a pedagogia e lingüística. Vol. 1. Porto Alegre: Mediação, 1999. p.15-23.

VELOSO, Brenda Silva. Classificadores e Estrutura Argumental na Língua de Sinais Brasileira. Estudos Lingüísticos XXXIV, p.521-526, 2005.

WRIGLEY, Owen. The politics of deafness. Washingnton: Gallaudet University Press, 1996.

 

F-128 - Física Geral I

Vetor: OF:S-5 T:004 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75% Pré-requisito (não há)

Ementa: Cinemática do ponto. Leis de Newton. Estática e dinâmica da partícula. Trabalho e energia. Conservação da Energia. Momento linear e sua conservação. Colisões. Momento angular da partícula e de sistemas de partículas. Rotação de corpos rígidos.

Programa: Medidas Físicas. Cálculo Vetorial. Multiplicação vetorial. Movimento num Plano. Força e Movimento I. Força e Movimento II. Trabalho e Energia. Lei da Conservação da Energia. Sistemas de Partículas. Colisões. Movimento de Rotação. Rolamento, Torque e Momento Angular. O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

 

Referências Bibliográficas:

Fundamentos de Física 1 - 3ª edição - Livros Técnicos e Científicos (Rio de

Janeiro), Autores: Halliday e Resnick

 

F-129 - Física Experimental I

Vetor: OF:S-5 T:000 P:000 L:002 O:000 D:000 HS:002 SL:002 C:002 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito (não há)

Ementa: Experiências de laboratório sobre: cinemática do ponto, Leis de Newton, estática e dinâmica da partícula, trabalho e energia, conservação da energia, momento linear e sua conservação, colisões, momento angular da partícula e de sistemas de partículas e rotação de corpos rígidos.

Programa: Introdução. Medidas, erros, algarismos significativos e gráficos. Propagação de erros, mínimos quadrados, linearização e gráficos log-log. Trajetória de um Projétil. Determinação da trajetória parabólica e velocidade inicial. Ajuste de curva, linearização da parábola. Movimento Uniformemente Experimento utilizando trilho de ar. Uso de instrumentos de medida, calibração, erros doinstrumento.Determinação da inclinação do trilho. Colisão em Uma Dimensão. Ensaios de colisão utilizando o trilho de ar. Conservação do momento e da energia. Colisão em Duas Dimensões. Experimento de colisão entre duas esferas, uma caindo em uma rampa e a outra parada. Variação do parâmetro de impacto. Modelo, geometria do problema. Conservação do momento e da energia. Rotação. Medidas de aceleração angular, torque e momento de inércia.

O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

Referências Bibliográficas:

Notas de Aula do IFGW

"Practical Physics", S.L.Squires, (Cambridge University Press, 1991)

“Experiments in Physics", D.W.Preston (John Wiley & Sons, 1985)

"Problemas Experimentais em Física", C.E.Hennies, W.O.N.Guimarães e J.A.Roversi, 3ª edição,

(Editora da Unicamp, 1989)

F-228 - Física Geral II

Vetor: OF:S-5 T:004 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito *F 128

Ementa: Oscilações. Gravitação. Ondas em meios elásticos. Ondas sonoras. Hidrostática e hidrodinâmica. Viscosidade. Temperatura. Calorimetria e condução de calor. Leis da termodinâmica; teoria cinética dos gases.

Obs.: Recomenda-se que seja cursada previamente MA151 ou disciplina equivalente.

Programa: Equilíbrio e Elasticidade. Oscilações. Campo Gravitacional. Mecânica dos Fluídos. Movimento Ondulatório - I. Movimento Ondulatório - II. Temperatura. Calor e a Primeira Lei da Termodinâmica. Teoria Cinética dos Gases. A Segunda Lei da Termodinâmica.

O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

 

Referências Bibliográficas:

Fundamentos de Física 2 - 3ª Edição - Livros Técnicos e Científicos (Rio de Janeiro),

Autores: Halliday e Resnick

 

F-229 - Física Experimental II

Vetor: OF:S-5 T:000 P:000 L:002 O:000 D:000 HS:002 SL:002 C:002 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito F 128 F 129

Ementa: Experiências de laboratório sobre: oscilações, gravitação, ondas em meios elásticos, ondas sonoras, hidrostática e hidrodinâmica, viscosidade, temperatura, calorimetria e condução de calor, leis da termodinâmica e teoria cinética dos gases.

Programa: Pêndulo Físico. Verificar a dependência do período de oscilação de um pêndulo físico,apresentando distribuição não homogênea de massa, em função do ponto de suspensão. Escoamento de Líquido Densidade. Determinação da densidade da água aplicando o princípio de Arquimedes. Determinação da aceleração da gravidade local através do período de oscilação do flutuador. Escoamento de Líquido. Determinar a velocidade de escoamento da água no dispositivo turbo de Venturi, através da aplicação da equação da continuidade e da equação de Bernoulli. Determinar a velocidade de escoamento da água, na saída do dispositivo tubo de Venturi, a partir da trajetória do jato d'água na saída do tubo de Venturi.

Ondas Estacionárias. Estudo da propagação de ondas transversais. Determinação da densidade linear de um fio através da freqüência dos harmônicos de uma onda estacionária. Termômetro a Gás. Calibração de um termômetro a gás. Dilatação de Metais. Determinação do coeficiente de dilatação térmica de metais.

O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

 

Referências Bibliográficas:

Notas de Aula do IFGW

"Practical Physics", S.L.Squires, (Cambridge University Press, 1991)

“Experiments in Physics", D.W.Preston (John Wiley & Sons, 1985)

"Problemas Experimentais em Física", C.E.Hennies, W.O.N.Guimarães e J.A.Roversi, 3ª edição,

(Editora da Unicamp, 1989)

“Fundamentos de Física 2”, Halliday e Resnick, 3a edição, , Livros Técnicos e Científicos.

 

F-328 - Física Geral III

Vetor: OF:S-5 T:004 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito F 128 MA111 MA141/ F 128 MA141 MA151/ F 128 GE504 MA141

Ementa: Lei de Coulomb, Campo Elétrico, Lei de Gauss, Potencial Elétrico, Capacitância, Corrente e Resistência, Força Eletromotriz e Circuitos Elétricos, Campo Magnético, Lei de Ampère, Lei da Indução de Faraday, Indutância, Propriedades Magnéticas da Matéria, Oscilações Eletromagnéticas, Correntes Alternadas, Equações de Maxwell. Obs.: Recomenda-se que seja cursada previamente MA251 ou disciplina equivalente.

Programa: Carga Elétrica. O Campo Elétrico. Lei de Gauss. Potencial Elétrico. Capacitância. Correntes e Resistência. Força Eletromotriz e Circuitos Elétricos. O Campo Magnético. Lei de Ampére.Lei da Indução de Faraday. Indutância. Propriedades Magnéticas da Matéria. Oscilações Eletromagnéticas. Correntes Alternadas. Equações de Maxwell.

O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

Referências Bibliográficas:

Fundamentos de Física 3. 3ª edição. Livros Técnicos e Científicos (Rio de Janeiro). Halliday e Resnick

 

F-329 - Física Experimental III

Vetor: OF:S-5 T:000 P:000 L:002 O:000 D:000 HS:002 SL:002 C:002 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito F 129 MA111/ F 129 MA151/ F 129 GE504

Ementa: Experiências de laboratório sobre: lei de Coulomb e campo elétrico, lei de Gauss, potencial elétrico, capacitores e dielétricos, corrente, resistência e força eletromotriz, circuitos e instrumentos de corrente contínua, campo magnético de uma corrente, forças magnéticas sobre correntes, força eletromotriz induzida e circuitos de corrente alternada.

Programa: Introdução. Técnicas de Medidas de Corrente Contínua. Caracterização de Componentes. Circuito RC. Campo Magnético de um Imã Permanente. Campo Magnético de Espiras e Campo Magnético Terrestre.

O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

Referências Bibliográficas:

Notas de Aula do IFGW.

"Practical Physics", S.L.Squires, (Cambridge University Press, 1991)

“Experiments in Physics", D.W.Preston (John Wiley & Sons, 1985)

"Problemas Experimentais em Física", C.E.Hennies, W.O.N.Guimarães e J.A.Roversi, 3ª edição, (Editora da Unicamp, 1989)

Fundamentos da Física 3 - 2ª edição- Livros Técnicos e Científicos (Rio de Janeiro); Halliday e Resnick

 

 

F-428 - Física Geral IV

Vetor: OF:S-5 T:004 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito F 328/ EE521

Ementa: Ondas Eletromagnéticas, Óptica Geométrica, Interferência, Difração, Teoria da Relatividade, Física Quântica, Modelos Atômicos, Condução de Eletricidade em Sólidos, Física Nuclear, Quarks, Léptons, e o Big-Bang. Obs.: Recomenda-se que seja cursada previamente MA351 ou disciplina equivalente.

Programa: Ondas Eletromagnéticas. Óptica Geométrica. Interferência. Difração. Teoria da Relatividade. Física Quântica I. Física Quântica II. Modelos Atômicos. Condução de Eletricidade em Sólidos. Física Nuclear. Energia Libertada Pelo Núcleo. Quarks, Léptons e o Big-Bang.

O PROGRAMA COMPLETO ENCONTRA-SE DISPONÍVEL EM: http://portal.ifi.unicamp.br/images/stories/imagens/arquivos/programas_disciplinas.pdf

Referências Bibliográficas:

Fundamentos de Física 4. 3ª edição. Livros Técnicos e Científicos (Rio de Janeiro). Autores: Halliday e Resnick

 

MA044 - Matemática IV

Vetor: OF:S-5 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito *MA311/*MA351/ AA200

Ementa: Números complexos. Funções de variável complexa. Equações de Cauchy-Riemann. Integral de linha. Sequências e séries de números complexos. Séries de potências. Teorema dos resíduos. Transformações conformes.

Programa: Números complexos. Definição, argumento de um número complexo, forma polar de um número complexo, complexos conjugados, raízes n-ésimas de um número complexo, fórmula de De Moivre, os números complexos e a geometria analítica, projeção estereográfica. 2. Funções de uma variável complexa. Topologia no plano complexo, função de uma variável complexa, ramificações, limites de uma função de uma variável complexa, propriedades dos limites, continuidade, a derivada de uma função complexa de uma variável complexa, fórmulas de derivação. 3. Funções analíticas. Definição, equações de Cauchy-Riemann, condições suficientes, aplicações das equações de Cauchy-Riemann, funções harmônicas, harmônicas conjugadas, polinômios, funções racionais. 4. Funções complexas elementares. Função exponencial, funções trigonométricas, funções hiperbólicas, a função logarítmica complexa, ramos da função logaritmo, propriedades dos logaritmos complexos, expoentes complexos, funções trigonométricas inversas. 5. Integral complexa. Integrais definidas, curvas no plano complexo, integrais de linha, primitivas, teorema de Cauchy-Goursat, domínios simplesmente conexos e multiplamente conexos, fórmula integral de Cauchy, teorema de Morera, teorema de Liouville, teorema do módulo máximo, teorema fundamental da álgebra. 6. Seqüências e séries de números complexos. Seqüências convergentes e divergentes, séries convergentes e divergentes, critérios de convergência. 7. Séries de potências. Definição, convergência absoluta, convergência uniforme, integração e derivação de séries de potências, teorema de Abel, séries de Taylor, séries de Laurent, zeros de funções analíticas. 8. Teoria dos resíduos. Singularidades de uma função complexa, ponto singular isolado, ponto singular removível, pólos, resíduos, teorema dos resíduos, cálculo de integrais reais com aplicação de resíduos, princípio do argumento, teorema de Rouché. 9. Transformações. Transformações elementares, transformação linear fracionária, transformação conforme.

Referências Bibliográficas:

  1. R. V. Churchill, Variáveis Complexas, McGraw-Hill.
  2. L. Ahlfors, Complex Analysis, McGraw-Hill.
  3. Murray R. Spiegel, Teoria e Problemas de Variáveis Complexas, Coleção Schaum, McGraw-Hill.
  4. Chaim S. Hönig, Introdução às Funções de uma Variável Complexa, 4ª ed., Guanabara Dois, Rio de Janeiro, 1981.

 

MA104 - Seminários sobre o Ensino de Matemática

Vetor: OF:S-1 T:01 P:01 L:00 O:00 D:00 HS:02 SL:02 C:02 AV:F EX:N FM:75%

Ementa: Palestras sobre o ensino de matemática no ensino fundamental e médio, visando o direcionamento da formação acadêmica dos alunos ingressantes.

Programa: Palestras sobre o ensino de matemática no ensino fundamental .Palestras sobre o ensino de matemática no ensino médio

Referências Bibliográficas: A critério do professor responsável.

 

MA105 - Matemática Elementar

Vetor: OF:S-1 T:004 P:004 L:000 O:000 D:000 HS:008 SL:008 C:008 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito: (não há)

Ementa: Funções de 1º grau. Matrizes, determinantes e volume. Sistemas lineares. Funções: injetora, sobrejetora, bijetora, inversa, função de 2º grau, valor absoluto. Combinatória e Probabilidade: princípios multiplicativo e aditivo; arranjos, combinações e permutações; probabilidades em conjuntos finitos, probabilidade condicional; triângulo de Pascal, binômio de Newton. Números e Sequências: números naturais, inteiros, racionais, reais, progressões aritméticas e geométricas. Funções Exponencial e Logarítmica. Trigonometria. Equações algébricas, Polinômios e Números Complexos.

Programa:

Disciplina de nivelamento abrangendo todo o conteúdo matemático do ensino básico. Funções de 1º grau: proporcionalidade direta e indireta, funções de 1º grau em uma e mais variáveis. Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares: Operações com matrizes, determinantes e volume, escalonamento, cálculo do determinante por escalonamento e regra de Cramer; Resolução de sistemas lineares. Funções: função injetora, sobrejetora e bijetora; função inversa, função de 2º grau, função valor absoluto. Combinatória e Probabilidade: princípios multiplicativo e aditivo; arranjos, combinações e permutações; probabilidades em conjuntos finitos, probabilidade condicional; triângulo de Pascal e binômio de Newton. Números e Sequências: conjuntos numéricos (naturais, inteiros, racionais, reais), progressões aritméticas e geométricas. Funções Exponencial e Logarítmica. Trigonometria: relações trigonométricas nos triângulos retângulos, igualdades trigonométricas, leis dos senos e dos cosenos, arcos e ângulos; funções trigonométricas e trigonométricas inversas; Equações algébricas, Polinômios e Números Complexos: equações polinomiais, fatoração de polinômios, divisão de polinômios.

Referências bibliográficas:

Luiz Roberto Dante “Matemática Contexto & Aplicações”, volumes 1 a 3, Editora Ática, 2012.

Juliana Matsubara Barros, “Conexões com a Matemática”, volume único, Editora Moderna, 2012.

Manoel Paiva, “Matemática Paiva”, volumes 1 a 3, Editora Moderna, 2012.

lson Iezi e outros, “Matemática, Ciências e Aplicações”, volumes 1 a 3, Editora Atual, 2010.

Jackson Ribeiro, “Matemática, - Ciência e Linguagem – Volume Único”, Editora Scipione.

Maria I. Diniz e Kátia S. Smole, “Matemática do Ensino Médio”, volumes 1 a 3, Editora Saraiva, 2012.

Joamir Souza, “Novo Olhar – Matemática”, volumes 1 a 3, Editora FTD, 2012.

lson Iezi e outros, “Fundamentos da Matemática Elementar”, volumes 1 a 10.

 

MA111 - Cálculo I

Vetor: OF:S-5 T:04 P:02 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:06 SL:06 C:06 EX:S

Pré-requisito (não há)

Ementa: Intervalos e desigualdades. Funções. Limites. Continuidade. Derivada e diferencial. Integral. Técnicas de integração.

Programa:

  • Números reais. Desigualdades. Valor absoluto. Funções. Gráficos. Funções algébricas e trigonométricas.
  • Limites de seqüências reais. Limites e continuidade de funções reais. Teorema do valor intermediário. Funções exponencial e logarítmica. 3. Derivada. Teorema de Rolle e do valor médio. Estudo do gráfico de funções. Máximos e mínimos. Fórmula de Taylor. Diferencial. 4. Integral indefinida. Técnicas de integração. Noções de equações diferenciais. 5. Integral definida. Teorema fundamental do cálculo. Áreas, volumes e outras aplicações.

 

Referências Bibliográficas:

  1. C. H. Edwards Jr. e D. E. Penney, Cálculo com Geometria Analítica, Vols. 1-2, Prentice-Hall do Brasil, 1997.
  2. H. L. Guidorizzi, Um Curso de Cálculo, Vols. 1-2, LTC, 1991.
  3. L. Leithold, O Cálculo com Geometria Analítica, Vol. I, 3ª ed., Harbra, 1994.
  4. G. F. Simmons, Cálculo com Geometria Analítica, Vol. I, McGraw-Hill, 1987.

 

MA141 - Geometria Analítica e Vetores

Vetor: OF:S-5 T:03 P:01 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito (não há)

Ementa: Sistemas lineares. Vetores, operações. Bases, sistemas de coordenadas. Distância, norma e ângulo. Produtos escalar e vetorial. Retas no plano e no espaço. Planos. Posições relativas, interseções, distâncias e ângulos. Círculo e esfera. Coordenadas polares, cilíndricas e esféricas. Seções cônicas, classificação. Introdução às quádricas.

Programa:

  1. Revisão sobre sistemas lineares e matrizes. Espaços de soluções. Sistemas homogêneos.
  2. Sistemas de coordenadas. Distância, ângulo. Lugares geométricos no plano e no espaço.
  3. Vetores no plano e no espaço. Operações com vetores. Noções sobre bases no plano e no espaço. Produto escalar, norma. Projeções. Produto vetorial, área e volume. Interpretação do determinante como área e volume.
  4. Retas no plano e no espaço. Equações paramétricas e cartesianas. Posições relativas, distâncias e ângulos. Interseções.
  5. Planos. Equações paramétricas e cartesianas. Vetor normal. Posições relativas, distâncias e ângulos. Interseções.
  6. Círculos e esferas. Equações paramétricas e cartesianas. Reta e plano tangentes. Posições relativas, interseções. Famílias de círculos e esferas. Eixo e plano radicais.
  7. Coordenadas polares, cilíndricas e esféricas. Mudança de coordenadas.
  8. Curvas planas. Seções cônicas. Formas cartesiana e polar. Rotação de eixos, classificação da equação geral de segunda ordem em duas variáveis.
  9. Introdução às superfícies quádricas.
  10. Introdução à parametrização de curvas e superfícies. Noções sobre vetor tangente, velocidade e aceleração.
  11. Revisão sobre sistemas lineares. Representação matricial. Escalonamento. Espaços de soluções. Sistemas homogêneos.
  12. Vetores no plano e no espaço. Operações com vetores. Noções sobre bases no plano e no espaço. Produto escalar, norma e ângulo. Projeções. Produto vetorial, área e volume.
  13. Retas no plano e no espaço. Equações paramétricas e cartesianas. Posições relativas, ângulos e interseções.
  14. Planos. Equações paramétricas e cartesianas. Vetor normal. Posições relativas, ângulos e interseções.
  15. Projeções ortogonais e distâncias.
  16. Coordenadas polares, cilíndricas e esféricas. Mudança de coordenadas.
  17. Curvas planas. Seções cônicas. Equação geral de segunda ordem em duas variáveis.
  18. Autovalores e autovetores de matrizes. Diagonalização de matrizes simétricas. Classificação das cônicas.
  19. Introdução às superfícies quádricas.

 

Referências Bibliográficas:

Alfredo Steinbruch e Paulo Winterle, Geometria Analítica, Makron Books do Brasil, São Paulo, 1987. 292 pp.

C. Wexler, Analytic Geometry - A Vector Approach, Addison-Wesley, 1961.

Luiz Adauto Medeiros, Norai Gonçalves de Andrade e Augusto Maurício Wanderley, Álgebra Vetorial e Geometria, Campus, Rio de Janeiro, 1981. 159 pp.

Paulo Boulos e I. Valente, Geometria Analítica - Um Tratamento Vetorial, McGraw-Hill, 1986.

Charles H. Lehmann, Geometria Analítica, 8ª ed., Globo, São Paulo, 1995. xvi + 457 pp.

 

MA148 - Fundamentos de Matemática

Vetor: OF:S-1 T:02 P:02 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S Pré-requisito (não há)

Ementa:

Visa apresentar um primeiro contato com o rigor matemático, ensinar os alunos a demonstrar proposições simples, de modo rigoroso e coerentemente redigido, a partir de conceitos desenvolvidos no ensino médio. Devem ser introduzidas apenas noções básicas de lógica e conjuntos, além de princípio de indução, conjuntos de números (naturais, inteiros, racionais, reais e complexos), sequências reais e noções básicas de combinatória.

Programa:

  1. Conjuntos, união, interseção, produto cartesiano, provas elementares.
  2. Inteiros, divisibilidade, principio de Indução.
  3. Axiomas dos números reais e dedução das propriedades algébricas básicas.
  4. Funções, injetoras, sobrejetoras, composição, função inversa.
  5. Sequências, convergência, subsequências.
  6. Continuidade e limite.

Referências Bibliográficas:

D. C. Kurtz, Foundations of abstract Mathematics, Mc Graw Hill, 1992

E. Lima et al: A Matematica no Ensino Medio, SBM, 1996

S. Lipschutz: Teoria de Conjuntos, Mc Graw Hill, 1972.

 

MA211-Cálculo II

Vetor: OF:S-5 T:04 P:02 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:06 SL:06 C:06 EX:S

Pré-requisito MA111 *MA141/ MA151 *MA141

Ementa:

Funções de várias variáveis reais. Fórmula de Taylor. Máximos e mínimos. Integrais múltiplas. Integrais de linha. Teorema da divergência. Teorema de Stokes.

Programa:

  1. Funções de várias variáveis. Domínios, curvas de nível e esboço de gráficos. Limite e continuidade. Derivadas parciais. Diferenciabilidade. Derivada direcional. Regra da cadeia. Funções implícitas. Fórmula de Taylor. Máximos e mínimos. Multiplicadores de Lagrange.
  2. Integrais múltiplas. Integrais duplas e triplas. Mudança de variáveis. Integração em coordenadas cilíndricas e esféricas.
  3. Curvas no plano e no espaço.
  4. Integrais de linha. Independência de caminhos. Teorema de Green.
  5. Integrais de superfície. Teoremas de Gauss e de Stokes. Aplicações.

 

Referências Bibliográficas:

C. H. Edwards Jr. e D. E. Penney, Cálculo com Geometria Analítica, Vols. 2 e 3, Prentice-Hall do Brasil, 1997.

H. L. Guidorizzi, Um Curso de Cálculo, Vols. II e III, LTC, 1991.

L. Leithold, O Cálculo com Geometria Analítica, Vol. II, 3ª Edição, Harbra, 1994.

A. Shenk, Cálculo e Geometria Analítica, Vol. II, Campus, 1985.

 

MA220 - Matemática Discreta

Vetor: OF:S-2 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito (não há)

Ementa: Indução Matemática. Princípio multiplicativo. Princípio aditivo. Permutação, arranjo, combinação. Princípio de inclusão e exclusão. Funções geradoras. Partição de um inteiro. Relações de recorrência. O princípio da casa dos pombos. Noções de teoria dos grafos.

Programa: Indução Matemática. Princípio multiplicativo. Princípio aditivo. Permutação, arranjo, combinação. Princípio de inclusão e exclusão. Funções geradoras. Partição de um inteiro. Relações de recorrência. O princípio da casa dos pombos. Noções de teoria dos grafos.

Referências Bibliográficas:

Introdução à Análise Combinatória, Santos-Mello-Murari, CM editora.

 

MA224 Resoluções de problemas matemáticos

Vetor: OF:S-2 T:02 P:02 L:00 O:02 D:00 E:00 HS:06 SL:04 C:06 EX:S

Pré-requisito AA420

Ementa: Resolução de problemas matemáticos nem sempre elementares, utilizando matemática elementar. O problemas propostos abordarão os seguintes tópicos: proporcionalidade, funções de primeiro e segundo grau, áreas e volumes, funções exponenciais e logarítmicas,Teorema de Pitágoras, trigonometria e aplicações, combinatória e probabilidade. Discussão e reflexão sobre como apresentar e orientar alunos da escola básica na resolução de problemas. Preparação de listas de exercícios e avaliações para o ensino básico.

Programa: Proporcionalidade; Funções de primeiro e segundo grau; áreas e volumes, funções exponenciais e logarítmicas, Teorema de Pitágoras, trigonometria e aplicações, combinatória e probabilidade. Discussão e reflexão sobre como apresentar e orientar alunos da escola básica na resolução de problemas.

Preparação de listas de exercícios e avaliações para o ensino básico.

Referências Bibliográficas:

Temas e problemas elementares, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

Temas e problemas, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

Como resolver problemas matemáticos, Terence Tao. Editora da SBM.

21 Aulas de Matemática Olímpica, Carlos Yuzo Shine. Editora da SBM.

Banco de Questões da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) http://www.obmep.org.br/

 

MA225 - Análise de Livros e Materiais Didáticos de Matemática

Vetor: OF:S-1 T:002 P:002 L:000 O:002 D:000 HS:006 SL:004 C:006 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito AA420

Ementa: Exame crítico de livros e/ou materiais didáticos disponíveis para ensino fundamental e médio, analisando-os em relação à adequação de conteúdo e linguagem, riqueza de problemas propostos e exercícios. Preparação de textos para o ensino de matemática na escola básica, incluindo listas de exercícios e avaliações.

Programa: Objetivos da disciplina

Conhecer livros didáticos (incluindo livros texto) e materiais didáticos diversos.

Ser capaz de analisar, avaliar e perceber modos diversos de trabalhar, em sala de aula, com este tipo de material.

Ser capaz de redigir e elaborar materiais de apoio didático.

Conhecer algo da literatura sobre livros didáticos.

Preparação de textos para o ensino de matemática na escola básica, incluindo listas de exercícios e avaliações.

Sugestões: Além dos textos, livros e sítios de internet mencionados, poderá ser adicionado textos (boa parte em inglês) ao ambiente do Ensino Aberto. É recomendável também a consulta à bibliografia da Coleção LEM disponível na BIMECC (Biblioteca do IMECC).

 

Referências Bibliográficas:

Linda Haggarty; Birgit Pepin (2002). An investigation of mathematics textbooks and their use in English, French and German classrooms: who gets na apportunity to lear what?, British Educational Research Journal, Vol. 28, nº 4, 2002, citando Apple, M.W. (1986) Teachers and Texts: a political economy of class and gender relations in education (N.York, Routledge & Kegan).

Van Dormoien, J. (1986) Textual analysis, in: B. Chistiansen, A. G. Howson & M. Ott (Eds) Perspetives on Mathematics Education (Dordrecht, D. Reidel).

Schimidt, W.H., McKnight, C. C., Valverde, G.A., Houang, R. I. & Wiley, D.E. (1997) Many Vison, Many Aims. Volume 1. A Crossnational Investigation of Curricular Intentions in School Mathematics (London, Kluwer).

 

MA311 - Cálculo III

Vetor: OF:S-5 T:04 P:02 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:06 SL:06 C:06 EX:S

Pré-requisito *MA211/*MA251

Ementa: Séries numéricas e séries de funções. Equações diferenciais ordinárias. Transformadas de Laplace. Sistemas de equações de primeira ordem. Equações diferenciais parciais e séries de Fourier.

Programa:

  1. Equações diferenciais ordinárias de primeira ordem. Equações lineares. Teorema de existência e unicidade. Equações separáveis, exatas, fatores integrantes. Outros métodos substitutivos. Equações homogêneas.
  2. Equações diferenciais ordinárias lineares de ordem superior. Princípio da superposição. Wronskiano. Equações homogêneas com coeficientes constantes. Métodos: Coeficientes indeterminados, variação dos parâmetros. Redução de ordem. Equações de Euler.
  3. Transformadas de Laplace. Solução de problemas de valor inicial. Funções degrau. Funções impulso. (Tópico opcional, ministrado apenas em algumas turmas). A integral de convolução.
  4. Sistemas lineares. Método da transformada de Laplace. Método da eliminação. Método de autovalores. Método dos coeficientes indeterminados. Método de variação dos parâmetros.
  5. Outros tópicos. Seqüências. Séries numéricas. Testes da integral, da comparação, do limite, da razão, da raiz, etc. Séries de potências. Séries de Taylor. Soluções de equações diferenciais ordinárias por séries de potências e por séries de Frobenius. Funções periódicas. Séries de Fourier. Equações diferenciais parciais. Problemas de fronteira. Equações da onda e do calor. Método de separação de variáveis. Equação de Laplace. Problema de Dirichlet. (Os dois últimos tópicos são opcionais, e ministrados apenas em algumas turmas.)

 

Referências Bibliográficas:

  • W. E. Boyce e R. C. Di Prima, Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Valores de Contorno, Guanabara.
  • R. C. Bassanezi e W. C. Ferreira Jr., Equações Diferenciais com Aplicações, Harbra.
  • F. Neves e D. G. de Figueiredo, Equações Diferenciais Aplicadas, IMPA.
  • H. Edwards Jr. e D. E. Penney, Equações Diferenciais Elementares com Problemas de Contorno, Prentice-Hall do Brasil.

 

MA312 – Modelagem matemática e equações diferenciais

Vetor: OF:S-2 T:004 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisitos: MA111 MA211 MA327

Ementa: Equações diferenciais de 1ª ordem: equações separáveis, modelos básicos: dinâmica de populações, estabilidade, resfriamento de um corpo. Equações diferenciais de 2ª ordem, modelos básicos: dinâmica de uma partícula, oscilador harmônico, campos centrais de forças. Transformada de Laplace. Teoria básica de sistemas de equações diferenciais: equações algébricas, autovalores, autovetores; sistemas lineares homogêneos com coeficientes constantes; sistemas lineares não homogêneos; variação dos parâmetros; sistemas não lineares; modelos básicos: o pêndulo, o modelo predador–presa.

Programa: O objetivo principal do curso é fornecer ferramentas e técnicas para se estudar modelos matemáticos que envolvem equações diferenciais. Equações diferenciais de 1ª ordem – equações separáveis e modelos básicos: dinâmica de populações e noções de estabilidade, resfriamento de um corpo, diluição de soluções entre outros modelos; noções gerais e métodos envolvendo equações de 1ª ordem. Equações diferenciais de 2ª ordem: noções gerais; métodos para obtenção de soluções; modelos básicos: dinâmica de uma partícula, oscilador harmônico, campos centrais de forças, entre outros. Noções básicas sobre a transformada de Laplace: definição, principais propriedades e aplicações em equações diferenciais. Teoria básica de sistemas de equações diferenciais: equações algébricas, autovalores e autovetores; sistemas lineares homogêneos com coeficientes constantes; sistemas lineares não homogêneos; método da variação dos parâmetros; noções de sistemas não lineares; modelos básicos: o pêndulo e o modelo predador – presa.

 

Referências Bibliográficas:

  1. De Figueiredo, D. G.; Neves, A. F.: Equações Diferenciais Aplicadas. 2ª Edição. Coleção Matemática Universitária. Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada – IMPA, 2001.
  2. Boyce, E.W., Diprima, R.C.: Equações diferenciais elementares e problemas de valores de contorno, 7 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002.

 

MA327 - Álgebra Linear

Vetor: OF:S-5 T:03 P:01 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito *MA141

Ementa: Espaços vetoriais reais. Subespaços. Base e dimensão. Transformações lineares e matrizes. Núcleo e imagem. Projeções. Autovalores e autovetores. Produto interno. Matrizes reais especiais. Diagonalização.

Programa:

  1. Sistemas lineares. Revisão dos conceitos e métodos utilizados na resolução de sistemas lineares.
  2. Espaços vetoriais reais. Definições, propriedades e exemplos.
  3. Subespaços. Geradores. Soma e interseção de subespaços.
  4. Base e dimensão. Dependência e independência linear. Espaços de dimensão finita.
  5. Transformações lineares. Representação matricial. Núcleo e imagem.
  6. Soma direta de subespaços. Projeções.
  7. Autovalores e autovetores. Interpretação geométrica.
  8. Produto interno. Ortogonalidade. Processo de ortonormalização de Gram-Schmidt. Desigualdade de Cauchy-Schwarz.
  9. Adjunta de uma transformação linear.
  10. Matrizes reais especiais. Simétricas, ortogonais.
  11. Diagonalização. Aplicação à classificação de cônicas e quádricas.

 

Referências Bibliográficas:

Elon Lages Lima, Álgebra Linear, Coleção Matemática Universitária, 1995.

H. Domingues, C. A. Calioli e R. C. F. Costa, Álgebra Linear e Aplicações, Atual, 1982.

Howard Anton, Álgebra Linear, 3ª edição, Rio de Janeiro, 1982. 392 pp.

J. Pitombeira de Carvalho, Introdução à Álgebra Linear, Livros Técnicos e Científicos, 1974.

José Luiz Boldrini, Sueli I. Rodrigues Costa, Vera Lúcia Figueiredo e Henry G. Wetzler, Álgebra Linear, 3ª edição, Harbra-Harper & Row do Brasil, São Paulo, 1984. 411 pp.

k. Hoffman and R. Kunze, Álgebra Linear, Livros Técnicos e Científicos, 1970.

 

MA502 - Análise I

Vetor: OF:S-5 T:04 P:00 L:00 O:02 D:00 E:00 HS:06 SL:04 C:06 EX:S

Pré-requisito MA211/ MA251/ AA200

Ementa: Conjuntos finitos e infinitos. Números reais. Sequências e séries numéricas. Funções contínuas. Funções deriváveis.

Programa:

  1. Conjuntos finitos e infinitos. Números naturais, conjuntos finitos, conjuntos infinitos, conjuntos enumeráveis.
  2. Números reais. Corpo, corpo ordenado, corpo ordenado completo, números reais.
  3. Seqüências de números reais. Seqüências e subseqüências de números reais, limite de uma seqüência, seqüências convergentes, seqüências divergentes, seqüências limitadas, seqüências monótonas, operações com seqüências convergentes e divergentes, limite superior e limite inferior, seqüências de Cauchy.
  4. Séries de números reais. Séries convergentes, séries divergentes, séries com termos não negativos, séries alternadas, convergência condicional e convergência absoluta, rearranjo de séries, testes de convergência.
  5. Algumas noções topológicas. Conjuntos abertos, conjuntos fechados, pontos de acumulação, conjuntos compactos.
  6. Limites de funções. Definição, limites laterais, limites no infinito, limites infinitos, expressões indeterminadas.
  7. Funções contínuas. Definição e propriedades, funções contínuas num intervalo, funções contínuas em conjuntos compactos, continuidade uniforme.
  8. Funções deriváveis. A noção de derivada, operações com funções deriváveis, derivada e crescimento local, funções deriváveis num intervalo.
  9. Fórmula de Taylor e aplicações da derivada. Funções convexas e côncavas, aproximações sucessivas e método de Newton.

 

Referências Bibliográficas:

Elon Lages Lima, Análise Real, Vol. 1, Coleção Matemática Universitária, IMPA, Rio de Janeiro.

Djairo Guedes de Figueiredo, Análise I, Livros Técnicos e Científicos, Rio de Janeiro, 1974.

W. Rudin, Princípios de Análise Matemática, Universidade de Brasília e Ao Livro Técnico, Rio de Janeiro, 1971.

Richard R. Goldberg, Methods of Real Analysis, Blaisdell, New York, 1963.

 

MA504 – Introdução à Análise

Vetor: OF:S-2 T:06 P:00 L:00 O:00 D:00 HS:06 SL:06 C:06 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisitos: MA111

Ementa: Os números reais. Sequências e séries, o número e é irracional; convergência de Cauchy; séries infinitas, testes da comparação, razão e integral; não-enumerabilidade dos números reais, Teorema de Bolzano-Weierstrass, divergência da série harmônica. Funções contínuas: limites, Teoremas de Bolzano, de Weierstrass e do Valor Intermediário, continuidade uniforme. Derivadas, extremos locais, o Teorema do Valor Médio, funções inversas. Integral. O Teorema Fundamental do Cálculo. Aplicações: funções trigonométricas, π é irracional, as funções logarítmica e exponencial, aproximação por polinômios.

Programa: Esta disciplina visa desenvolver nos estudantes de Licenciatura em Matemática tanto a intuição em torno dos conceitos de Análise, quanto o rigor por trás de formulação de questões matemáticas relacionadas com números e funções reais através do conceito de limite. Especificamente, o curso tem principalmente dois objetivos: apresentar as demonstrações dos principais teoremas visto no curso de Cálculo I, como o Teorema de Bolzano, de Weierstrass, do Valor Intermediário, do Valor Médio e o Teorema Fundamental do Cálculo e, além disso, fazer um estudo rigoroso sobre funções elementares, como as funções trigonométricas e as funções logarítmicas e exponenciais, formalizando alguns resultados e conceitos ensinados nos Ensino Médio. Espera-se também que se apresente aos alunos o contexto histórico dos temas estudados. 1. Fundamentos sobre os números reais: propriedades básicas; desigualdades, indução finita; necessidade da completude dos números reais. 2. Sequências e séries: sequências monótonas; o número e e sua irracionalidade; Critério de convergência de Cauchy; propriedades e exemplos de séries infinitas, Testes da comparação, razão e integral; não-enumerabilidade dos números reais, Teorema de Bolzano-Weierstrass, origem das séries infinitas, divergência da série harmônica. 3. Funções: limites, funções contínuas, Teoremas de Bolzano, de Weierstrass e do Valor Intermediário, continuidade uniforme. 4. Derivadas: derivada e propriedades, extremos locais e o Teorema do Valor Médio, funções inversas. 5. Integral: definição através de somas superior e inferior, O Teorema Fundamental do Cálculo; 6. Aplicações: estudo analítico das funções trigonométricas, demonstração de que π é irracional, as funções logarítmica e exponencial, aproximação por polinômios.

 

Referências Bibliográficas:

Ávila, Geraldo: Introdução à Análise Matemática. 2ª ed. E. Blucher, 1999. Spivak, Michael: Calculus. Fourth Edition. Publish or Perish, Inc. Houston, Texas, 2008.

 

 

MA520 - Geometria Plana e Desenho Geométrico

Vetor: OF:S-1 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito (não há)

Ementa: Tratamento axiomático da geometria euclidiana plana. Introdução às geometrias não euclidianas. Isometrias no plano. Desenho geométrico. Tópicos da história da geometria.

Programa:

  1. Tratamento axiomático da geometria euclidiana plana. Retas e semiplanos, ângulos, congruências, desigualdades geométricas, retas perpendiculares e paralelas, semelhança, circunferências, áreas.
  2. Introdução às geometrias não euclidianas. Geometria hiperbólica. Geometria elíptica. Modelos de Poincaré e de Beltrami-Klein para a geometria hiperbólica.
  3. Isometrias no plano. Simetria em torno de um ponto, reflexão em torno de uma reta, translação, rotação, reflexão com deslizamento. Isometrias próprias e impróprias. Composição de isometrias.
  4. Desenho geométrico. Construções fundamentais. Construções de triângulos, quadriláteros, segmentos construtíveis, expressões algébricas, equivalências de áreas, homotetia, método dos lugares geométricos, construções aproximadas, cônicas.
  5. Tópicos da história da geometria. Descrição sucinta da história dos diversos conceitos à medida que eles são desenvolvidos em aulas.

 

Referências Bibliográficas:

João Lucas Marques Barbosa, Geometria Euclidiana Plana, Coleção do Professor de Matemática, N.º 11, Sociedade Brasileira de Matemática, Rio de Janeiro, 1995.

Carlos Marmo, Desenho Geométrico, Vols. 1-4, Moderna, 1964.

Elon Lages Lima, Isometrias, Coleção do Professor de Matemática, N.º 12, Sociedade Brasileira de Matemática, Rio de Janeiro, 1996. 94 pp.

Edwin E. Moise, Elementary Geometry from an Advanced Standpoint, Addison-Wesley, 2nd ed., 1974. xv + 425 pp.

 

MA521 – Geometria plana

Vetor: OF:S-2 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 HS:04 SL:04 C:04 AV:N EX:S FM:75%

Ementa: Os 5 postulados de Euclides; noções comuns da geometria; construções com régua e compasso; crítica das noções comuns. Os axiomas de Hilbert: incidência; ordem e o teorema de Pasch; congruência de segmentos e ângulos; paralelas; continuidade e completude. Corpos de segmentos: soma por concatenação, multiplicação via paralelismo, números construtíveis, semelhança de triângulos; a propriedade do supremo.

Programa: Os elementos de Euclides: Os 5 postulados de Euclides, noções comuns da geometria,construções com régua e compasso; crítica das noções comuns. Os axiomas de Hilbert: incidência; ordem e o teorema de Pasch; congruência de segmentos e ângulos; paralelas; continuidade e completude. Corpos de segmentos: soma por concatenação, multiplicação via paralelismo, números construtíveis, semelhança de triângulos; a propriedade do supremo.

 

Referências Bibliográficas:

Robin Hartshorne, Euclid and beyond, Springer (2000)

David Hilbert, The foundations of geometry (1899), Project Gutemberg: http://www.gutenberg.org/ebooks/17384 (2005) Leitura complementar:

Euclides de Alexandria, Os elementos, Editora Unesp (2009)

Eliane Q. F. Rezende & Maria Lúcia B. Queiroz, Geometria euclidiana plana e construções geométricas, Editora Unicamp (2008)

João Lucas M. Barbosa, Geometria euclidiana plana, SBM (2006) 6. Antonio C. M. Neto, Tópicos de Matemática Elementar - Volume 2: Geometria Euclidiana Plana, SBM

 

MA553 - Teoria Aritmética de Números

Vetor: OF:S-5 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito MA327

Ementa: Números inteiros. Divisibilidade e congruências. Congruências e sistemas de grau um. Equações diofantinas. Somas de quatro quadrados. Congruências de grau dois. Símbolo de Legendre. Lei da reciprocidade quadrática.

Programa:

  • Números inteiros. Divisibilidade e congruências.
  • Sistemas completos e reduzidos dos restos.
  • Congruências de grau um. Teorema de Bezout.
  • Teorema de Fermat - Euler e aplicações.
  • Sistemas lineares de congruências. Teorema chinês dos restos. Aplicações.
  • Equações diofantinas elementares. Aplicações: Ternas de Pitágoras, a equação diofantina x4 + y4 = z4.
  • Representações de números naturais como soma de quatro quadrados.
  • Congruências de grau dois. Símbolo de Legendre.
  • Lei da reciprocidade quadrática e aplicações.

 

Referências Bibliográficas:

I. Niven, H. S. Zuckerman, An Introduction to the Theory of Numbers, Wiley, 1966.

S. C. Coutinho, Números Inteiros e Criptografia RSA, Série de Computação e Matemática, IMPA, 1997.

 

MA621 – Geometria espacial

Vetor: OF:S-1 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 HS:04 SL:04 C:04 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisitos: MA521

Ementa: Teoria de poliedros: revisão dos axiomas de Hilbert; os números reais como corpo de segmentos; convexidade de polígonos e poliedros; fórmula de Euler para poliedros convexos. Áreas e volumes: princípio de Cavalieri; áreas superficiais e volumes de sólidos (prisma, pirâmide, cilindro, cone e esfera). Isometrias: definição por congruência; classificação das isometrias da reta, do plano e do espaço.

Programa :

  1. Axiomas de Hilbert (revisão): incidência, ordem e o teorema de Pasch, congruência de segmentos e ângulos, paralelas;
  2. Teoria de poliedros: (a) revisão dos axiomas de Hilbert: incidência, ordem e o teorema de Pasch, congruência de segmentos e ângulos, paralelas, continuidade e completude (b) os números reais como corpo de segmentos: soma por transporte de segmentos, multiplicaçao pela construção de Tales, supremo de um conjunto via relação de ordem, extensão aos supremos via completude (c) convexidade de polígonos e poliedros : caminhos poligonais, polígonos, uniões poligonais, poliedros, interior e convexidade (d) fórmula de Euler para poliedros convexos : característica de Euler de uma figura, triangulação de polígonos e poliedros convexos, fórmula de Euler, classificação dos sólidos platônicos
  3. Áreas e volumes: (a) introdução: paralelepípedo retângulo, princípio de Cavalieri (b) áreas superficiais e volumes de sólidos: prisma, pirâmide, cilindro, cone e esfera.
  4. Isometrias: (a) introdução: definição por congruência, injetividade e condições de sobrejetividade, exemplos na reta e no plano, composição (b) classificação das isometrias da reta e do plano: orientação, restrição ao número de pontos fixos, classificação das isometrias da reta, classificação das isometrias do plano (c) classificação das isometrias do espaço: exemplos, classificação das isometrias do espaço.

 

Referências Bibliográficas:

David Hilbert, The foundations of geometry (1899), Project Gutemberg: http://www.gutenberg.org/ebooks/17384 (2005)

Elon Lima, Paulo César P. Carvalho, Eduardo Wagner, Augusto C. Morgado, A matemática do ensino médio, SBM

Elon Lima, Isometrias, SBM Leitura complementar :

Robin Hartshorne, Euclid and beyond, Springer (2000)

Euclides de Alexandria, Os elementos, Editora Unesp (2009)

 

 

 

MA673 - Elementos de Álgebra

Vetor: OF:S-5 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S Pré-requisito MA670/ MA553

Ementa: Grupos: Teorema de Lagrange e Teorema de Isomorfismo. Exemplos: grupos cíclicos, simétricos e diedrais. Anéis e corpos: Domínios Euclidianos, domínios de ideais principais e fatoração única. Corpo de frações. Aritmética do anel dos polinômios. Corpos numéricos e finitos.

Programa: Grupos, subgrupos. Propriedades. Exemplos. 2. Teorema de Lagrange e aplicações. 3. Subgrupos normais e homomorfismos. Teorema sobre o isomorfismo. Aplicações. 4. Grupos cíclicos e diedrais. 5. Grupos simétricos. 6. Grupos de ordem pequena. 7. Anel: definição e propriedades básicas. Ideal. Exemplos. 8. Homomorfismos e teorema sobre o isomorfismo. Aplicações. 9. Domínios e corpos. Exemplos e proriedades. 10. Domínios euclidianos. 11. Domínios de ideais principais. 12. Domínios de fatoração única. 13. Corpo de frações. 14. Anel dos polinômios. 15. Aritmética do anel dos polinômios de uma variável. 16.Corpos numéricos. Corpos finitos. Extensão de corpos.

Referências Bibliográficas:

S. Lang, Estruturas algébricas, Livro Técnico,1972.

Herstein, Topics in Algebra, Wiley, 1975. (A BIMECC tem várias cópias da tradução em português.)

Garcia e Y. Lequain, Elementos de álgebra, Projeto Euclides, IMPA 2002.

 

MA705- Curriculo e didática da metamática: teoria e prática

Vetor: OF:S-1 T:02 P:04 L:00 O:00 D:00 HS:06 SL:06 C:06 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito AA440

Ementa:

O currículo de matemática do ensino básico. Planejamento de disciplina (organização das aulas em larga escala, pré-requisitos e interdependência de conteúdos). Preparação de aula (definição de conteúdos, revisão de conteúdos prévios, estratégias de apresentação em sala, escolha de exemplos, lição de casa). Acessórios didáticos. Preparação de listas de exercícios e atividades de casa. Avaliação em matemática. Dificuldades de aprendizagem dos alunos da escola básica. Orientação para resolução de problemas. Aulas práticas: tutoria com os alunos da MA105 sob supervisão do docente responsável.

Programa:

  • Currículo de matemática do Ensino Básico (Fundamental 2 e Médio): Conhecer em detalhes a Proposta Curricular da Secretaria Estadual de Educação e outros currículos relevantes.
  • Planejamento de disciplina: Organização das aulas em larga escala (ano, semestre, bimestre), pré-requisitos e interdependência de conteúdos.
  • Preparação de aula: Diversos aspectos de preparação de aula, incluindo definição de conteúdos, necessidades de revisão de conteúdos prévios, estratégias de apresentação em sala, escolha de exemplos, lição de casa.
  • Acessórios didáticos: Acessórios didáticos disponíveis ao professor de matemática, com ênfase ao uso do quadro negro.
  • Preparação de listas de exercícios e atividades de casa: critérios para elaboração de listas, dificuldade progressiva e variada, como e o que corrigir
  • Avaliação: Critérios e estratégias para elaboração e correção de provas, avaliação diagnóstica, outras possibilidades de avaliação.
  • Dificuldades de aprendizagem dos alunos: orientação diferenciada, sistema de tutoria.
  • Orientação para resolução de problemas;
  • Supervisão e discussão das atividades de tutoria.

Referências Bibliográficas:

A matemática do ensino médio, volume 1, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

A matemática do ensino médio, volume 2, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

A matemática do ensino médio, volume 3, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

lson Iezi e outros, “Fundamentos da Matemática Elementar”, volumes 1 a 10.

 

MA740- Matemática do ensino médio para professores I

Vetor: OF:S-1 T:04 P:00 L:00 O:02 D:00 HS:06 SL:04 C:06 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito AA450

Ementa: Revisão e aprofundamento do conteúdo de funções, combinatória e probabilidade no currículo de matemática do ensino básico. Desenvolvimento de atividades envolvendo os conceitos abordados com vistas ao tratamento para o ensino dos mesmos na escola básica. Conjuntos. Números naturais, reais. Progressões. Funções: polinomiais, exponencial, logarítmica; gráficos, crescimento, taxa de variação. Trigonometria. Combinatória, permutações e combinações; o triângulo aritmético, o binômio de Newton. Probabilidade. Médias e o princípio das gavetas.

Programa:

  • Conjuntos, conjuntos numéricos.
  • Números naturais, cardinais e reais.
  • Progressão aritmética, progressão geométrica.
  • Funções afins, funções quadráticas e funções polinomiais.
  • Funções exponencial e logarítmica.
  • Trigonometria e funções trigonométricas.
  • Estudo de funções: gráficos, crescimento, taxa de variação e operações geométricas.
  • Princípios básicos de combinatória, permutações e combinações; o triângulo aritmético e o binômio de Newton.
  • Conceitos básicos de probabilidade e probabilidade condicional.
  • Médias e o princípio das gavetas.

 

Referências Bibliográficas:

A matemática do ensino médio, volume 1, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

A matemática do ensino médio, volume 2, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

A matemática do ensino médio, volume 4, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

Logaritmos, Elon Lages Lima. Editora da SBM.

Trigonometria e números complexos, Eduardo Wagner, Augusto Cesar Morgado e Manfredo Perdigão do Carmo. Editora da SBM.

Análise combinatória e Probabilidade. Paulo César Pinto Carvalho, Augusto Cesar Morgado, João Bosco Pitombeira, Pedro Fernandez.

MA750 – Recursos computacionais no ensino de matemática

Vetor: OF:S-2 T:002 P:002 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75% Pré-requisito MA105

Ementa: Análise de aplicativos de informática para o ensino-aprendizagem de matemática na educação básica. Sistemas de computação algébrica e simbólica. Ambientes de geometria dinâmica. Processadores de textos matemáticos e científicos. Resolução de problemas em situações de ensino envolvendo, por exemplo, sistemas lineares, equações polinomiais, geometria analítica e funções de uma variável.

Programa:

Análise de aplicativos de informática para o ensino-aprendizagem de matemática na educação básica.

Sistemas de computação algébrica e simbólica.

Ambientes de geometria dinâmica.

Processadores de textos matemáticos e científicos.

Resolução de problemas em situações de ensino envolvendo, por exemplo, sistemas lineares, equações polinomiais, geometria analítica e funções de uma variável.

 

Referências Bibliográficas:

Recursos computacionais no ensino de matemática, Vitor Giraldo, Paulo Antonio Silvani Caetano e Francisco Roberto Pinto Mattos. Editora da SBM.

 

MA752 -História de matemática

Vetor: OF:S-2 T:004 P:000 L:000 O:002 D:000 HS:004 SL:004 C:006 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito MA111 MA141

Ementa: Tópicos de história da matemática tendo em vista a formação de professores de matemática para a escola básica : Pitágoras, a Geometria grega e a teoria dos números; a Matemática grega antes de Euclides; a geometria pré-euclidiana; a Matemática grega depois de Euclides; Arquimedes, o desenvolvimento das ideias da Álgebra, números complexos e funções. A Matemática do século XVII. Matemática e Mecânica. História moderna: geometria diferencial e não-euclidiana, topologia e combinatória. Criação de texto.

Programa:

  • Pitágoras, a Geometria grega e a teoria dos números: a Matemática na Babilônia e no Egito antigo; a Matemática grega antes de Euclides: a noção de número dos pitagóricos; a geometria pré-euclidiana; a Matemática grega depois de Euclides; Arquimedes; Apolônio e as seções cônicas; a aritmética de Diofanto.
  • O desenvolvimento das ideias da Álgebra: Álgebra árabe; resolução de equações algébricas;
  • A Matemática do século XVII:o método cartesiano; Fermat e os lugares geométricos; as primeiras noções de função; o cálculo de Leibniz, Newton e Wallis.
  • Números complexos, e funções:Argand, Gauss e a forma geométrica das quantidades imaginárias; a definição arbitrária de uma função; Cauchy e a nova noção de rigor na análise; construção dos números reais.
  • Matemática e Mecânica:A Mecânica antes do Cálculo; Mecânica celestial; vibração de cordas.
  • História moderna:Geometria diferencial e não-Euclidiana; Topologia; Combinatória.
  • Sugestão—criação de texto: ao final de cada semestre, os alunos matriculados apresentam uma monografia entre 20 e 30 páginas sobre um tópico não coberto no curso, contendo demonstrações e contextualização histórica.

Referências Bibliográficas:

J. Stillwell: Mathematics and its history. 3rd ed. Undergraduate texts in mathematics . New York, NY: Springer, c2010.

T. M. Roque e J. B. Pitombeira de Carvalho: Tópicos de História da Matemática. Coleção PROFMAT, SBM.

 

MA770 - Geometria

Vetor: OF:S-2 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S Pré-requisito (não há)

Ementa: Isometrias e similaridades do plano euclidiano, cristalografia bi-dimensional, círculos e esferas, coordenadas e números complexos, sólidos platônicos, geometria de ordem, geometrias afim, projetiva, absoluta e hiperbólica.

 

Programa:

  1. Isometrias e similaridades do plano euclidian
  2. Cristalografia bi-dimensional
  3. Círculos e esferas .Coordenadas e números complexos
  4. Sólidos platônicos
  5. Geometria de ordem
  6. Geometrias afim, projetiva, absoluta e hiperbólica.

Referências Bibliográficas:

Introduction to Geometry, H. S. M. Coxeter, John Wiley & Son, 1969 (partes I a III).

Geometry I, Marcel Berger, Springer-Verlag, Berlin, 1994.

 

MA811/812/813 – Cultura Matemática I/II/III

Vetor: OF:S-5 T:000 P:000 L:000 O:004 D:000 HS:004 SL:000 C:004 AV:F EX:N FM:75%

Ementa: Participação em seminários, palestras, conferências e outras atividades de enriquecimento do universo cultural matemático.

Programa : Participação em: seminários palestras conferências outras atividades Observações: A Coordenação de Graduação aprovará antecipadamente as atividades consideradas adequadas para esta disciplina. Qualquer curso, disciplina, congresso ou evento similar, presencial ou a distância, relacionado a temática matemática terá sua carga horária integralmente reconhecida desde que satisfaça um dos seguintes critérios: a) Ser certificado por IES reconhecida pelo MEC ou instituição estrangeira de mérito inquestionável; b) Contar com apoio financeiro de agência de fomento (CNPq, Capes, FAPESP ou similar, nacional ou estrangeira); c) Contar com apoio de entidade científica de âmbito nacional, tais como SBM, SBMAC, SBEM e outras; d) Outros casos que serão avaliados pela Coordenação de Graduação. Pode ser substituída por qualquer disciplina oferecida pelo IMECC, sem necessidade de consulta prévia, desde que não esteja contida em disciplina prevista no currículo; ver tabela de continências em http://www.dac.unicamp.br/sistemas/horarios/grad/continencia/M.htm).

Referências Bibliográficas: A critério do professor responsável.

 

MA840 -Matemática do ensino médio para professores II

Vetor: OF:S-2 T:04 P:00 L:00 O:02 D:00 HS:06 SL:04 C:06 AV:N EX:S FM:75% Pré-requisito AA450

Ementa: Revisão e aprofundamento do conteúdo de geometria e álgebra no currículo de matemática do ensino fundamental e médio. Desenvolvimento de atividades e resolução de problemas em situações de ensino envolvendo os conceitos abordados com vistas ao tratamento para o ensino dos mesmos na educação básica. Geometria analítica plana e espacial. Poliedros, sólidos, volumes e áreas, superfícies e sólidos de revolução. Sistemas de equações lineares, matrizes e determinantes. Equações algébricas e números complexos.

Programa: Geometria analítica plana e espacial. Poliedros, sólidos, volumes e áreas, superfícies e sólidos de revolução. Sistemas de equações lineares, matrizes e determinantes. Equações algébricas e números complexos.

Referências Bibliográficas:

A matemática do ensino médio, volume 2, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

A matemática do ensino médio, volume 3, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

A matemática do ensino médio, volume 4, Elon Lages Lima, Paulo César Pinto Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Cesar Morgado. Editora da SBM.

Trigonometria e números complexos, Eduardo Wagner, Augusto Cesar Morgado e Manfredo Perdigão do Carmo. Editora da SBM.

 

MA901 -Estágio Supervisionado I

Vetor: OF:S-5 T:000 P:002 L:000 O:006 D:000 HS:008 SL:002 C:008 AV:N EX:S FM:75%

Ementa: Elaboração, planejamento e execução de atividades de ensino de matemática, seguida de análise e reestruturação das mesmas.

Programa: O objetivo do estágio é a imersão no campo de trabalho em escolas públicas ou privadas, obtendo conhecimento das características das instituições educativas incluindo as diferentes formas de ensino-aprendizagem, de gestão e de organização de sala de aula. Os alunos deverão exercer parte significativa das atividades que caracterizam o ofício do professor em geral e do professor de matemática em particular: planejamento de curso/disciplina; escolha de literatura de apoio; preparação de aulas; elaboração e correção de listas de exercícios e atividades para desenvolvimento em casa; escolha de exemplos adequados aos tópicos de ensino; avaliação (incluindo provas e correção); resolver dúvidas de alunos; organização do quadro negro; redação de textos de apoio.

Os alunos serão avaliados pelo seu desempenho nas atividades de campo e  o conjunto das produções de textos ao longo do semestre. Um relatório contendo a descrição das atividades deverá ser elaborado, validado pelo responsável pelo estágio na escola e pelo professor responsável pela disciplina. 

Referências Bibliográficas:

ABRAMOVAV, M. et alii (2006) - Cotidiano das escolas: entre violências.

 Brasil:UNESCO-MEC: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000145265_por

BRASIL. Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional. Lei n. 9394 de 20 dez de 1996.

 

MA902 -Estágio Supervisionado II

Vetor: OF:S-1 T:000 P:002 L:000 O:006 D:000 HS:008 SL:002 C:008 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito AA200

Ementa:Elaboração, planejamento e execução de atividades de ensino de matemática, seguida de análise e reestruturação das mesmas.

Programa:

O objetivo do estágio é a imersão no campo de trabalho em escolas públicas ou privadas, obtendo conhecimento  das características das instituições educativas  incluindo as diferentes formas de ensino-aprendizagem, de gestão e de organização de sala de aula. Os alunos deverão exercer parte significativa das atividades que caracterizam o ofício do professor em geral e do professor de matemática em particular: planejamento de curso/disciplina; escolha de literatura de apoio; preparação de aulas; elaboração e correção de listas de exercícios e atividades para desenvolvimento em casa; escolha de exemplos adequados aos tópicos de ensino; avaliação (incluindo provas e correção); resolver dúvidas de alunos; organização do quadro negro; redação de textos de apoio. O estudande deverá exercer atividades em contato direto com alunos das escolas, em situação de ensino-aprendizagem.

 

 Os alunos serão avaliados pelo seu desempenho nas atividades de campo e  o conjunto das produções de textos ao longo do semestre. Um relatório contendo a descrição das atividades deverá ser elaborado, validado pelo responsável pelo estágio na escola e pelo professor responsável pela disciplina.

Referências Bibliográficas:

ABRAMOVAV, M. et alii (2006) - Cotidiano das escolas: entre violências. Brasil:UNESCO-MEC: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000145265_por

 BASSO, Itacy. Significado e sentido do trabalho docente. Cadernos do CEDES. Vol.19, n.44. Campinas. 1998

 BRASIL. Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional. Lei n. 9394 de 20 dez de 1996.

 Parâmetros curriculares nacionais : matemática,  Secretaria de Educação Fundamental - Brasília : MEC/SEF, 1997, 142p.

 

MC102 - Algoritmos e Programação de Computadores

Vetor: OF:S-5 T:004 P:000 L:002 O:000 D:000 HS:006 SL:006 C:006 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito (não há)

Ementa: Conceitos básicos de organização de computadores. Construção de algoritmos e sua representação em pseudocódigo e linguagens de alto nível. Desenvolvimento sistemático e implementação de programas. Estruturação, depuração, testes e documentação de programas. Resolução de problemas.

Programa: Introdução à computação. Algoritmos e programas. Variáveis e Atribuições Comandos. condicionais. Comandos de Entrada e Saída. Comandos repetitivos . Procedimentos e funções . Vetores e matrizes . Recursão . Arquivos . Registros . Memória dinâmica. Outros tópicos

Referências Bibliográficas:

N. Wirth. Programação Sistemática. Campus, 1978

M. J. Clancy and M. C. Linn, Designing Pascal Solutions: A Case Study Approach, W. H. Freeman, 1992.

B. S. Gottfried, Schaum's Outline of Theory and Problems of Programming with Pascal, Mc Graw-Hill, 1994.

B. S. Gottfried, Programação em Pascal, McGraw-Hill, 1994.

K. Jensen and N. Wirth, Pascal User Manual and Report, Springer-Verlag, 1985.

D. Cooper, Oh! Pascal!; Turbo Pascal 6.0 (3rd ed.), W. W. Norton, 1992

 

ME210 - Probabilidade I

Vetor: OF:S-5 T:004 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:004 SL:004 C:004 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisito MA111 ME100/ MA111 MS149

Ementa: Espaço de probabilidade. Axiomas de Kolmogorov, propriedades, independência, probalidade condicional, Teorema de Bayes. Espaços amostrais equiprováveis. Espaços amostrais infinitos. Variáveis e vetores aleatórios discretos bi e tri dimensionais; distribuições marginais, conjuntas e condicionais e independência. Transformações. Momentos. Modelos: uniforme, binomial, geométrica, binomial negativa, hipergeométrica e Poisson. Funções geratrizes. Aproximação da binomial. Variáveis aleatórias contínuas, distribuição, densidade e momentos. Modelos uniformes, exponencial e normal. Simulações.

Programa: 1. Análise Combinatória. Introdução. O princípio básico de contagem. Permutações. Combinações. Distribuição de bolas em urnas. 2. Axiomas de robabilidade. Introdução. Espaços amostrais e eventos. Axiomas de probabilidade. Proposições. Espaços amostrais equiprováveis. Probabilidade como uma função de conjuntos contínua. Probabilidade como uma medida de incerteza. 3. Probabilidade Condicional e Independência. Introdução. Probabilidade condicional. Fórmula de Bayes. Eventos Independentes. 4. Variáveis Aleatórias. Função distribuição. Variáveis aleatórias discretas. Valor esperado. Esperança de uma função. Função geratriz de probabilidade. Variância. Variáveis aleatórias de Bernoulli e binomial . Variável aleatória de Poisson. Outras distribuições discretas: Geométrica; Binomial Negativa; Hipergeométrica. Aproximação da binomial pela Poisson. 5. Variáveis Aleatórias Contínuas. Introdução. Esperança e variância de variáveis aleatória contínuas. A variável aleatória uniforme. Variável aleatória normal. Variável aleatória Exponencial. Outras distribuições contínuas: Gama; Weibull; Cauchy; Beta. A distribuição de uma função de uma variável aleatória.

 

Referências Bibliográficas:

CHUNG, K. L. (1974); "Elementary Probability Theory with Stochastic Processes", Springer-Verlag.

FELLER, W. (1968); "An Introduction to Probability Theory and its Applications". 3th edition, Vol. 1, Wiley.

FISZ, M. (1963); "Probability Theory and Mathematical Statistics", Wiley.

HOEL, P. G.; PORT, S. C. & STONE, C. J. (1971); "Introduction to Probability Theory", Houghton-Mifflin.

ROSS, S. (1994); "A First Course in Probability". 4th edition, Prentice Hall.

 

ME951 - Estatística e Probabilidade I

Vetor: OF:S-1 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 HS:04 SL:04 C:04 AV:N EX:N FM:75%

Pré-requisito MA111

Ementa: Análise exploratória de dados; noções de amostragem e planejamento de experimentos. Cálculo de probabilidades: probabilidade condicional, independência, teorema de Bayes. Variável aleatória: função de probabilidade, função de distribuição, momentos. Princípios de contagem. Modelos discretos: binomial, geométrico, Pascal, hipergeométrico, Poisson. Modelos contínuos: uniforme, normal, exponencial, gamma, beta. Relações entre algumas distribuições.

Programa:

  • Análise exploratória de dados; noções de amostragem e planejamento de experimentos.
  • Cálculo de probabilidades: probabilidade condicional, independência, teorema de Bayes.
  • 3.Variável aleatória: função de probabilidade, função de distribuição, momentos.
  • Princípios de contagem.
  • Modelos discretos: binomial, geométrico, Pascal, hipergeométrico, Poisson.
  • Modelos contínuos: uniforme, normal, exponencial, gamma, beta.
  • Relações entre algumas distribuições.

Referências Bibliográficas:

Bussab, W. O. e Morettin, P. A. Estatistica Basica. Editora Saraiva, São Paulo Magalhaes, M. N. e Lima, A. C. P., Noções de Probalidade e Estatística; EDUSP, São Paulo

MS149 - Complementos de Matemática

Vetor: OF:S-1 T:02 P:00 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:02 SL:02 C:02 EX:S

Pré-requisito (não há)

Ementa: Noções básicas de lógica. Elementos da teoria dos conjuntos. Princípio da indução. A demonstração em matemática. Conjuntos dos números naturais, inteiros e racionais. Noções de números reais e números complexos. Funções e sequências de números reais. Elementos de análise combinatória.

Programa: O objetivo deste curso é ensinar algumas das técnicas mais importantes da Matemática: definir rigorosamente, fazer demonstrações e encontrar contraexemplos. O aluno aprenderá fazendo. Seu principal mestre será ele mesmo, com lápis e papel, resolvendo os exercícios propostos. O aluno deverá encarar seriamente todos os problemas sugeridos, consultando suas dúvidas com o professor, os monitores e seus colegas e usando a aula para trabalhar ativamente. Conteúdo: Conjuntos. Funções. Demonstrações com Inteiros. Limitantes (Cotas) em Â. Seqüências. Continuidade.

Referências Bibliográficas:

D. C. Kurtz, Foundations of Abstract Mathematics, McGraw-Hill, 1992.

S. Lipschutz, Teoria dos Conjuntos, McGraw-Hill, 1972.

S. Lipschutz, Matemática Finita, McGraw-Hill, 1972.

 

MS211 - Cálculo Numérico

Vetor: OF:S-5 T:03 P:01 L:00 O:00 D:00 E:00 HS:04 SL:04 C:04 EX:S

Pré-requisito MA111 MA141 MC111/ MA141 MA151 MC102/ MA111 MA141 MC102/ MA141 MA151 MC111

Ementa: Aritmética de ponto flutuante. Zeros de funções reais. Sistemas lineares. Interpolação polinomial. Integração numérica. Quadrados mínimos lineares. Tratamento numérico de equações diferenciais ordinárias.

Programa: Objetivo: Introduzir os fundamentos dos métodos numéricos básicos utilizados na solução de problemas matemáticos que aparecem comumente nas engenharias e ciências aplicadas; promover a utilização de pacotes computacionais; analisar a influência dos erros introduzidos na utilização e implementação computacional destes métodos.

Conteúdo: Algoritmos para resolução de problemas numéricos com estudo de erros: Zero de funções (método da bissecção, de Newton-Raphson, das secantes); Sistemas de equações lineares (métodos diretos: eliminação de Gauss, decomposição LU; métodos iterativos de Gauss-Jacobi e de Gauss-Seidel); Ajuste de curvas (método dos quadrados mínimos lineares); Interpolação (interpolação polinomial; formas de Lagrange e de Newton; estudo do erro; funções spline); Integração numérica (regras dos trapézios e de Simpson; quadratura Gaussiana); Tratamento numérico de equações diferenciais (problemas de valor inicial: métodos de Runge-Kutta; problemas de valor de contorno: método das diferenças finitas).

Referências Bibliográficas:

M.A.G.Ruggiero e V.L.R.Lopes, Cálculo Numérico - Aspectos Teóricos e Computacionais, segunda edição, Makron Books, 1997.

M.C.Cunha, Métodos Numéricos para as Engenharias e Ciências Aplicadas, Ed. da Unicamp, 1993.

S.D.Conte e C. de Boor, Elementary Numerical Analysis, McGraw-Hill, 1987.

 

MS213 – Introdução à Matemática Computacional

Vetor: OF:S-1 T:04 P:00 L:00 O:00 D:00 HS:04 SL:04 C:04 AV:N EX:S FM:75%

Pré-requisitos: MA111 MA141 / MA141 MA151

Ementa: Introdução a algoritmos em uma linguagem de programação voltada para Matemática: variáveis, condicionais, laços e funções. Representação de números em ponto flutuante e noções de erros numéricos. Zeros de funções. Métodos diretos para a solução de sistemas lineares. Quadrados mínimos lineares. Interpolação.

Programa: Introduzir os fundamentos de matemática computacional e computação científica, com ênfase em métodos numéricos básicos utilizados na solução de problemas matemáticos; promover a utilização de pacotes computacionais; analisar a influência dos erros introduzidos na utilização e implementação computacional destes métodos. 1. Introdução a algoritmos em uma linguagem de programação voltada para atemática: variáveis, condicionais, laços e funções; 2. Representação de números em ponto flutuante e noções de erros numéricos; 3. Zeros de funções; 4. Métodos diretos para a solução de sistemas lineares; 5. Quadrados mínimos lineares; 6. Interpolação.

Referências Bibliográficas:

M.A.G.Ruggiero e V.L.R.Lopes, Cálculo Numérico - Aspectos Teóricos e Computacionais, segunda edição, Makron Books, 1997.

M.C.Cunha, Métodos Numéricos para as Engenharias e Ciências Aplicadas, Ed. da Unicamp, 1993.

S.D.Conte e C. de Boor, Elementary Numerical Analysis, McGraw-Hill, 1987.

 

FM003 - Seminários sobre a Profissão

Vetor: OF:S-1 T:002 P:000 L:000 O:000 D:000 HS:002 SL:002 C:002 AV:F EX:N FM:75%

Pré-requisito (não há)

Ementa: Palestras sobre temas de ciências físicas e matemáticas e de suas interfaces com outras ciências, visando o direcionamento da formação acadêmica dos alunos ingressantes.

Programa: O programa desta disciplina será definido por ocasião de seu oferecimento.

Referências Bibliográficas: A critério do professor responsável.

 

 

Responsável pelas informações nesta página: