Elza te conta

Número 8, junho de 2021.

Continuando com as boas notícias: a UFRGS modificou seus concursos de ingresso na carreira docente, adicionando uma pontuação afirmativa para candidatas mães.

Quer contribuir com alguma matéria ou informação? Escreva para imeelza@unicamp.br.

Boa leitura, boa saúde e continuem se cuidando,
Elza.

“Eu vou até o fim cantar”
Elza Soares


Ações afirmativas para mães cientistas!

A UFRGS recebe os parabéns ao incorporar pontuação extra para candidatas mães em seus concursos de ingresso na carreira docente. Em julho do ano passado, foram divulgados diversos dados do estudo desenvolvido pelo grupo Parent in Science sobre impacto das desigualdades de gênero, raça e parentalidade sobre a produtividade científica durante a pandemia.

A professora Rossana Soletti, participante do estudo, explica o impacto da maternidade na carreira de uma cientista: “Os editais avaliam a produção de um determinado período – cinco anos, por exemplo. Se nesse intervalo você não produziu porque teve uma pausa na carreira, não importa o quanto era produtiva ou boa pesquisadora antes, você vai ser prejudicada”. Assim, quando uma pesquisadora que é mãe presta um concurso para docência, vai concorrer com pessoas que não tiveram essa pausa e essa diminuição de produtividade.

Em 2019, a Universidade Federal Fluminense também já tinha incorporado ações semelhantes para candidatas mães, pais adotivos e casais homoafetivos que tinham tirado licença para cuidar dos filhos nos dois anos anteriores ao concurso.

Criada em fins de abril, a Rede Brasileira de Mulheres Cientistas, comprometida com respostas à pandemia que levem em conta a especificidade de seu efeitos sobre as mulheres, tem divulgado diversos documentos de estudos científicos feitos por integrantes do grupo, como notas técnicas sobre a desproporcional mortalidade de gestantes no Brasil em consequência da Covid-19, os riscos de vida enfrentados pelas profissionais da saúde e a falta de estratégia de testagem em grande escala no país.


Mas você só estuda?

O canal do Youtube “Mas você só estuda?” convidou duas doutorandas, Mayara Braz Antunes, Marisa dos Reis Cantarino, e uma posdoc, Giane Casari Rampasso, todas do IMECC, para conversar sobre mulheres na ciência e, em particular, na matemática.

A entrevista traz aspectos interessantes com os quais muitas e muitos de nós nos identificamos.

Divirta-se também com este vídeo sobre o o problema dos três quadrados, com a matemática Svezdelina Stankova, do Berkeley Math Circle.

 


Marque na agenda

No dia 15 de junho, o Grupo Elza conversa com a Profa Dra Verónica Gonzáles-López, em nosso Ciclo de Palestras “Pesquisadoras do IMECC”. O evento será transmitido ao vivo às 13h pelo canal do IMECC no YouTube. Não perca!

A Associação Nacional dos Professores de Matemática na Educação Básica, ANPMat, encerra seu Circuito de Lives do 1o semestre com a palestra “Precisamos conversar sobre o ensino de probabilidade”, da professora Laura Rifo, que ocorrerá no dia 26 de junho, às 10h, pelo canal do Youtube.


Grande Elza

Uma das inspiradoras do nome de nosso grupo é a grande e sempre diva Elza Soares. Fechamos este número com ela: a mulher do fim do mundo!